Em Executiva

Aécio propõe oposição revigorada e critica “ações vergonhosas” de dividir o Brasil

Em reunião da executiva nacional do PSDB, ele ainda disparou: quando o PT teve que escolher entre o partido e o Brasil, o PT escolheu o PT

SÃO PAULO – O senador por Minas Gerais e candidato derrotado à presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves se reuniu com partidos aliados e governados em Brasília nesta quarta-feira (5). Ele fez críticas sobre a atual gestão, ressaltando o “movimento de mudança” que existe no Brasil e prometendo fazer uma oposição forte no próximo governo Dilma Rousseff (PT). O evento lotou o auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados.

“As pessoas voltaram a se olhar, a se cumprimentar e a falar para mim sobre o desejo de mudança”, afirmou o mineiro, ressaltando que o “lado em que esteve é o da verdade” e que trará para a oposição o debate da campanha, em que ressaltará nos próximos anos o equívocos do governo. 

“Não venci as eleições, gostaria de ter vencido. Mas boto a minha cabeça no travesseiro e durmo tranquilo”, destacando que há incoerências no governo. “Acusavam-nos de sermos os grandes patrocinadores do capital especulativo e do mercado financeiro”, avaliando ainda as medidas do governo após as eleições que foram uma contradição ao que foi dito na campanha. 

PUBLICIDADE

“A taxa de juros aumentou logo após as eleições, há um rombo nas contas. As medidas amargas são necessárias, mas elas poderiam ter custos menores se tivesse feito isso antes. Sempre que o PT teve que escolher entre o Brasil e o PT, o PT sempre escolheu o PT”. 

Aécio ainda ressaltou que mantém o compromisso com os mais pobres e com os que mais precisam e ressaltou: “não vamos permitir estas ações draconianas e vergonhosas de dividir o Brasil”.