Após Serra negar...

Aécio Neves diz cogitar o nome de Henrique Meirelles para a vice-presidência

Durante evento em Belo Horizonte, Aécio disse que Meirelles pode vir a ser candidato a vice caso o PSD decida não apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff; na véspera, Serra negou que seria vice

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Poucas horas depois de José Serra negar que será candidato a vice-presidente na chapa encabeçada por Aécio Neves pelo PSDB, o pré-candidato à presidência destacou as suas preferências para compor a chapa ao seu lado em Belo Horizonte. E deixou claro que um dos nomes que está na mesa é o de Henrique Meirelles, que foi presidente do Banco Central durante o governo Lula. 

Durante evento em Belo Horizonte, Aécio disse que Meirelles pode vir a ser candidato a vice caso o PSD decida não apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff. O candidato à presidência pelo PSDB ressaltou que respeita os partidos como o PSD e outros que tem aliança pelo menos anunciada com o governo federal. 

“Não dou sinais que depois não possam ser correspondidos. Meirelles é um nome extremamente qualificado que o Brasil inteiro respeita, mas o que vejo hoje é que é seu partido tem um compromisso com a presidente da República” destacando que, “se isso mudar, vamos conversar”.  As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

PUBLICIDADE

Já o jornal Folha de S. Paulo destacou na coluna Painel do último final de semana que a articulação para que Meirelles seja vice na chapa de Aécio ganha forças. Meirelles seria o “vice dos sonhos” do mineiro. E isso vem preocupando o PT, o que levou o Planalto a marcar conversa com o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab para discutir o assunto. Na última sexta-feira, afirmou o jornal, Aécio e Meirelles tomaram um “café amistoso” durante compromisso do pré-candidato na Amchan, a câmara de comércio Brasil-EUA. 

Colunista da Folha, Meirelles tem feito algumas críticas à política econômica do governo, mostrando insatisfação com os rumos do governo. Já Gilberto Kassab destaca que o apoio à reeleição da presidente Dilma está garantido.