Eleições

Aécio ganharia de Dilma no 2º turno na região do Grande ABC, mostra pesquisa

Segundo pesquisa encomendada pelo Diário do Grande ABC, ambos empatariam no primeiro turno, mas petista perderia em uma eventual disputa na segunda fase

SÃO PAULO – A presidente Dilma Rousseff (PT) e seu principal concorrente, o senador Aécio Neves (PSDB), estão tecnicamente empatados nas intenções de votos para as eleições deste ano na região do Grande ABC, quando considerado o primeiro turno. Já em um eventual segundo turno, Aécio ganharia de Dilma para o cargo de Presidente do Brasil, sendo lembrado por 38,9% dos entrevistados, enquanto a petista teria 31,3% das intenções de voto.

Segundo levantamento do Diário do Grande ABC Pesquisas, encomendado pelo próprio jornal da cidade, a atual presidente detém 26,3% das intenções de votos no sete municípios que fazem parte da região, enquanto Aécio é citado por 24,2% dos entrevistados na pesquisa estimulada.

A margem de erro da pesquisa é de 1,9 ponto percentual, o que resultado em uma igualdade técnica entre os dois candidatos.

PUBLICIDADE

Logo atrás dos dois primeiros candidatos, aparece Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco, com 8% das intenções de votos estimulados. Já os votos brancos e nulos representam um total de 17,7% dos eleitores, enquanto outros 15,4% ainda não decidiram em quem vão votar nas urnas.

Queda de Dilma
Embora não seja preciso fazer a comparação com a pesquisa de novembro, pois ela não apresentava os 11 candidatos, a tendência é de queda para a atual presidente. Há oito meses, Dilma tinha 34,6% das intenções de voto, enquanto Aécio detinha apenas 18,8% e Campos 10,%.

Estes percentuais indicavam uma vitória de Dilma ainda no primeiro turno, o que não deve acontecer, como mostra o atual levantamento.

Segundo turno
Em um eventual segundo turno, Aécio ganharia de Dilma para o cargo de Presidente do Brasil. O tucano é lembrado por 38,9% dos entrevistados, enquanto a petista teria 31,3% das intenções de voto.

Em um cenário onde Dilma enfrentasse Eduardo Campos, a pesquisa mostra que haveria um empate técnico. Campos têm 34,1% das intenções dos entrevistas, enquanto Dilma possui 31,9%.