Eleições

Aécio admite ter utilizado aeroporto em Cláudio, Minas Gerais: “foi um equívoco”

Em documento divulgado pelo Estado de S. Paulo, candidato à presidência admitiu ter utilizado o aeroporto mesmo sem autorização da Anac

arrow_forwardMais sobre
Roger Agnelli, CEO of Vale do Rio Doce, left, Aecio Neves, governor of Minas Gerais, center, and Claudio Campos, director of Energy of Noveli Brazil, pose for photographers in front of the “Risoleta Neves” hydroelectric power plant in Rio Doce, Brazil Tuesday, August 30, 2005. Photographer: Marcos Issa/Bloomberg News.

SÃO PAULO – Após 10 dias sem se pronunciar sobre o caso, o candidato à presidência Aécio Neves admitiu ter pousado “algumas poucas vezes” no aeroporto de Cláudio (MG) e reconheceu que “foi um equívoco” não checar a regularidade do aeródromo junto à Anac. A informação foi divulgada pelo Estado de S. Paulo, que revelou um documento interno da campanha onde ele admitia ter utilizado o aeroporto.

“Não tenho absolutamente nada a esconder. Esse aeródromo já usei várias vezes antes dessa pista ser asfaltada nos últimos 30 anos desde a minha juventude, que ele era usado por empresários, fazendeiros, pessoas da região”, disse Aécio. “Depois da conclusão da obra, quando eu já não era mais governador do Estado, pousei ali algumas poucas vezes”, continuou.

Ele ainda reconheceu ter ocorrido um equívoco e disse que não se preocupou em examinar o estágio em que o processo de homologação estava. “Este é um equívoco e eu quero reconhecer”, disse Aécio. O político ainda criticou que as chaves do aeroporto estejam nas mãos de “umas 5 ou 6 pessoas”, incluindo um parente dele. “Isso é responsabilidade da prefeitura fiscalizar, está errado”, disse Aécio.

PUBLICIDADE