AO VIVO Renda extra imobiliária: Como montar uma carteira vencedora de FIIs; assista

Renda extra imobiliária: Como montar uma carteira vencedora de FIIs; assista

Perigo!

“Abismo fiscal” de janeiro pode fazer economia dos EUA contrair em 2013

Agência prevê que economia do país tenha queda de 0,5% no ano seguinte por conta do avanço de impostos e corte de gastos

arrow_forwardMais sobre
PIB dos EUA é um dos destaques do mercado nesta sessão (ShutterstocK)

SÃO PAULO – A economia norte-americana pode contrair em 2013 caso passe pelo “abismo fiscal”, afirmou a agência de orçamento do congresso dos Estados Unidos na última quarta-feira (22). Esse evento, que deve ocorrer em janeiro, é um aumento automático de impostos e corte de gastos, o que deve jogar a economia em recessão.

Este evento é temido inclusive pelo Federal Reserve, que pode iniciar uma nova rodada de estímulos quantitativos por lá como forma de estimular a economia. Ben Bernanke, presidente da autoridade monetária norte-americana, porém, alertou para o fato de que ele não é único responsável pelo desempenho da economia do país – e espera maior apoio por parte dos poderes executivo e legislativo. 

A agência prevê que o país registre contração de 0,5% em 2013 – já que a economia do país tem se enfraquecido. A expectativa é que que o relatório faça com que os parlamentares procurem um acordo para evitar os cortes de gastos e aumento de impostos. Além disso, o assunto virou um dos principais temas da corrida presidencial por lá – tanto por Barack Obama, atual presidente e candidato democrata, quanto por Mitt Romney, candidato republicano. 

PUBLICIDADE

De acordo com o estudo da agência, isso deve fazer com que a taxa de desemprego pule de 8,3% para 9% no segundo semestre de 2013. Às respostas ao relatório mostram o quão dividido está o congresso norte-americano: Jeb Hensarling, deputado republicano, entende que isto é a prova de que Obama enfraqueceu a economia do país, colocando-o no “caminho para menor crescimento e menos empregos”. Já o democrata Chris Van Hollen destaca que o atual presidente tem planos para diminuir déficits através do estímulo fiscal à economia.