AO VIVO Stock Pickers: oportunidades e lições da crise para quem investe em ações

Stock Pickers: oportunidades e lições da crise para quem investe em ações

Política

A pedido de Temer, PMDB deve obrigar os deputados a votarem a favor da reforma da Previdência

Segundo a Folha de S. Paulo, a intenção do Planalto com a medida é mostrar que a decisão do PSB não vai contaminar a base aliada

SÃO PAULO – A pedido do presidente Michel Temer, a bancada do PMDB deve apressar a articulação de uma medida que visa obrigar os deputados do partido a votar a favor da reforma da Previdência na Câmara, segundo informações da Folha de S. Paulo. A discussão, que foi acelerada após o PSB ter se declarado contra as reformas do governo, deve ser levada à cúpula do partido ainda esta semana.

Segundo o jornal, o governo quer que o PMDB acelere a manifestação de apoio à Previdência e obrigue seus deputados a votarem a favor da reforma para que os demais partidos da base sigam o exemplo. Com isso, o Planalto quer mostrar que a decisão do PSB não vai contaminar a base aliada.

O assunto já teria sido discutido entre Temer, auxiliares e o líder do partido na noite de segunda-feira, de acordo com a publicação, enquanto o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que manifestou recentemente receio com as dificuldades enfrentadas pelo governo para aprovar as reformas, foi informado do movimento pelo próprio presidente. 

PUBLICIDADE

Nesta terça, contudo, o líder do PMDB do Senado, Renan Calheiros (AL), endossou o posicionamento de alguns integrantes da bancada e considerou não ser “recomendável” a cúpula da legenda fechar questão na votação do projeto de reforma da Previdência. O texto, atualmente, tramita na Comissão Especial da Câmara e após passar pelo plenário da Casa seguirá para votação do Senado.

Em conversa com o jornal “O Estado de S. Paulo”, Renan falou sobre uma possível determinação por parte da Executiva Nacional do partido. “O PMDB não tem essa tradição. O PMDB geralmente não fecha questão porque o estatuto garante posições divergentes e até estimula isso”, ressaltou.