Frases da semana

A “lambança” do PT, a encalacrada da oposição e a revolta contra Cunha: as frases da semana

Papa afirma que soa falso comemorar Natal com um mundo em guerra; na política brasileira, destaque para a confusão na Câmara dos Deputados com a rebelião contra Cunha e para a ida do ex-bilionário Eike Batista na CPI do BNDES, além dos dias de alívio do ministro da Fazenda Joaquim Levy

SÃO PAULO – Esta sexta-feira conta com a BM&FBovespa fechada por conta do feriado da Consciência Negra, mas a semana foi bastante movimentada. Além do desenrolar das ações contra o terror após o trágico ataque em Paris na sexta passada, o mercado brasileiro seguiu de olho na política.

A semana foi de vitórias para a presidente Dilma Rousseff e para o ministro da Fazenda Joaquim Levy e terminou tensa para o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ao mesmo tempo, as críticas à política econômica do atual governo continuam, enquanto uma demanda inusitada vinda da China surpreendeu a ministra da Agricultura Kátia Abreu. Armínio Fraga criticou o PT, enquanto Lula criticou a oposição, mais uma vez. Confira as frases que resumem a semana:

Guerra no mundo

“Uma guerra pode ser justificada – entre aspas – com muitas, muitas razões. Mas quando todo o mundo, como é hoje, está em guerra, todo o mundo: é uma guerra mundial – em pedaços: aqui, ali, lá, em todos os lugares … – não há nenhuma justificativa. E Deus chora. Jesus chora”
Papa Francisco, ao lembrar a aproximação do Natal, mas dizendo que os preparativos serão falsos: “teremos luzes, festas, árvores luminosas e presépio. Tudo falso: o mundo continua fazendo guerras. O mundo não entendeu o caminho da paz”, afirmou.

PUBLICIDADE

“Estamos em guerra contra o terrorismo, que decidiu propriamente declarar esta guerra”
François Hollande, presidente da França, ao falar no Congresso francês, em Versailles, após os ataques terroristas de sexta-feira (13), que vitimou 130 pessoas em Paris

Jumento tipo-exportação

“Inacreditável, mas sua demanda é de 1 milhão de jumentos ano. Morro e não vejo tudo”
Kátia Abreu, ministra da Agricultura, que recebeu uma demanda inusitada de um empresário durante missão da China. O investidor disse ter interesse em importar 1 milhão de jumentos por ano. 

Eike na CPI

“Não estou falido. Espero resolver isso nos próximos dez dias e voltarei ao mercado”
Eike Batista, na CPI do BNDES

“Eu sei”
respondeu o empresário, ao ser chamado ironicamente de fenômeno por um deputado Arnaldo Jordy
, que disse não estar satisfeito com as explicações fornecidas pelo empresário a respeito das acusações de que deu prejuízos a investidores e manipulou o mercado ao ocultar a baixa produtividade dos poços de petróleo obtidos pela OGX

PUBLICIDADE

Levy sai da berlinda (por enquanto…)

“Ele [Levy] é um grande servidor público, que tem compromisso com a estabilidade do país. Acho nocivas as especulações [sobre a saída do ministro do cargo], pois me obrigam a vir a público dizer que ele fica onde está.”
Dilma Rousseff, presidente da República, no início da semana na Turquia, ao dizer que o ministro da Fazenda continua no cargo e que respeita, mas discorda da opinião de Lula, que pressiona para colocar Henrique Meirelles no cargo

“Eu não quero tirar o Levy nem quero colocá-lo”
Lula, ex-presidente, em entrevista para a GloboNews na última quarta-feira, ao negar que faz pressão para que o ministro deixe a pasta. “O Levy e o ministro da Fazenda é um problema da presidenta Dilma”, continuou

“Estou sempre tranquilo”
Levy, sobre o apoio da presidente para que ele se mantenha no cargo

“As escolhas do governo condicionarão o futuro do país”
Dilma, em declaração dada na quinta, durante sanção da lei que institui o PPE (Programa de Proteção ao Emprego). Para ela, a crise econômica é dolorosa, mas não deve ser desperdiçada

“Temos que ajudar a companheira Dilma a sair da encalacrada que a oposição nos colocou depois das eleições”
Lula, ao participar do 3º Congresso da Juventude do PT, em Brasília. E continuou: “eles não souberam perder.”

Diferentes visões

“Foi o pior presidente do Banco Central que o Brasil já teve. Ninguém errou tanto”
José Serra, senador (PSDB-SP), criticando Henrique Meirelles, em apresentação a empresários do setor químico na capital paulista

PUBLICIDADE

“Chegou a hora. O PT fez essa lambança toda, imperdoável”
Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central, em entrevista à Folha de S. Paulo na terça, falando sobre a necessidade de surgir uma nova liderança. Para ele, o impeachment poderia ser uma maneira de destravar a crise. 

“Dado seu conhecido desrespeito à aritmética, não me espanta que a incompetência do Dr. Bellezza tenha conseguido mandar o Palmeiras para a Segundona. Difícil é entender como ainda permitem que ele insista em fazer o mesmo com o Brasil”
Alexandre Schwartsman, ex-diretor do Banco Central, em coluna para a Folha de S. Paulo em que criticou o economista que foi consultor da presidente Dilma Rousseff e é ex-presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo 

“Vamos virar um País de rentista, é um desestímulo à atividade empreendedora. Só não estamos pior porque o câmbio salvou”
Geraldo Alckmin, governador de São Paulo (PSDB), ao dizer que não faz sentido subir juros em momento de contração da economia e em que não há demanda  

Sobre os vetos…

“Absolutamente desnecessário”
Dias Toffoli, presidente do TSE, sobre a derrubada do veto ao voto impresso e lembrando que, no passado, havia fraude nas contagens manuais.

A confusão de Cunha

O senhor tem de dar exemplo. O senhor não está dando mais exemplo. O senhor está perdendo a cada dia a legitimidade de presidir. Eu convido todos os deputados a saírem dessa sessão”.
Mara Gabrilli, deputada federal (PSDB-SP), criticando a postura de Eduardo Cunha depois de fazer manobra para atrapalhar reunião do Conselho de Ética: “O senhor está com medo?”, questionou a parlamentar, que deixou a sessão junto com outros deputados

“Não fiz manobra nenhuma nem vou fazer”
Cunha, logo após a sessão da Câmara, que caiu por falta de quórum.

PUBLICIDADE

“Eu questionei o relator da matéria, deputado Fausto Pinato, se ele ou alguém de sua família sofreu qualquer tipo de constrangimento ou ameaça nos últimos dias. Ele disse que sim”
Sandro Alex, deputado federal (PPS-PR), ao relator que o deputado Fausto Pinato (PRB-SP), relator do processo que investiga o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi alvo de “ameaça”. 

“Nós precisaríamos aí de uma grandeza maior para, no contexto, haver um afastamento espontâneo, ou, quem sabe até a renúncia ao próprio mandato”
Marco Aurélio Mello, ministro do STF, defende a renúncia de Cunha da presidente da Câmara

É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir: