Horário eleitoral B

A estratégia de Bolsonaro para tentar driblar o exíguo tempo de TV

A estratégia de Bolsonaro para driblar o exíguo tempo de TV O candidato vai apostar numa espécie de “horário eleitoral do B“ nas redes sociais para driblar o pouco tempo de propaganda, aponta a Folha de S. Paulo

SÃO PAULO – Ainda sem conseguir costurar alianças partidárias, o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) pode contar com um exíguo tempo de televisão na propaganda eleitoral gratuita, variando entre 6 a 8 segundos (a TV, por sinal, é apontada como o meio de maior influência na decisão de votos na eleição).

Já de olho no possível impacto eleitoral, o candidato vai apostar numa espécie de “horário eleitoral do B” para driblar esse cenário, segundo aponta reportagem da Folha de S. Paulo. 

Segundo o jornal, o plano de seus estrategistas é o de colocá-lo para falar em redes sociais no mesmo horário dos dois blocos de 25 minutos diários de propaganda gratuita, podendo fazer entradas ao vivo ou gravadas. 

PUBLICIDADE

A ideia é estabelecer um fórum para buscar rebater o que sua campanha considera inevitável bombardeio de acusações contra ele. As mensagens também serão reforçadas mensagens em pílulas virtuais. Isso porque ele terá apenas 14 inserções de 30 segundos nos 35 dias da campanha em rádio e na TV – as inserções são mais eficazes do que o horário fixo uma vez que atingem o espectador na programação normal. Desta forma, a sua aposta será toda na internet e ele não terá marqueteiro oficial. 

Na ponta oposto, Geraldo Alckmin terá ao menos 4min40s a cada bloco, além de mais de 300 inserções até o pleito. Desta forma, ele aparecerá mais do que os maiores garotos-propaganda do Brasil. 

Leia mais: 

– TV será meio com maior influência sobre decisão de voto nas eleições
– Com apenas 8 segundos na TV, Bolsonaro tem 36% dos votos ameaçados
– Alckmin terá mais espaço na TV que maiores garotos propaganda do país

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear