Entrevista JN

“A cidade de Cláudio precisava de um aeroporto”, defende Aécio Neves

O presidenciável tucano prometeu que enxugará ministérios e que governará com previsibilidade.

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em entrevista ao Jornal Nacional desta segunda-feira, o presidenciável do PSDB, Aécio Neves, defendeu que o aeroporto da cidade de Cláudio, em Minas Gerais, era necessário. De acordo com o tucano, o projeto não atendeu apenas às necessidades de sua família quando viajavam para a fazenda do tio-avô do ex-senador, Múcio Guimarães Tolentino, na cidade. 

Questionado se ficava constrangido com o fato de ter um aeroporto construído pelo governo do estado perto de uma fazenda de sua família, Aécio foi contundente ao dizer que visitou todos os aeroportos de Minas Gerais, enquanto ocupava o cargo de governador do estado mineiro. “Durante três anos não a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) não conseguiu fazer o processo avançar e homologar o aeroporto”, explicou o tucano. 

De acordo com Aécio, seu tio-avô foi o único prejudicado com a construção do aeroporto. “O estado avaliou em R$ 1 milhão. Meu tio-avô pediu R$ 9 milhões pela desapropriação e não recebeu um centavo até hoje. Foi tudo feito de maneira transparente”, explicou o tucano.

Aprenda a investir na bolsa

De acordo com o ex-governador mineiro, a fazenda pertence à sua família há 150 anos. “É um sítio… ali ninguém está fazendo negócio. Essa cidade precisava de uma aeroporto assim como outras de Minas Gerais. Criou-se uma celeuma em torno deste caso. A propriedade não tem nada a ver como o aeroporto”, afirmou Aécio. 

O presidenciável tucano destacou que, se eleito, o governo terá previsibilidade.“Ninguém espere no governo Aécio Neves um pacote A, um PAC disso, um PAC daquilo ou algum plano mirabolante”, disse o presidenciável do PSDB, que acrescentou que tomará todas as medidas necessárias para retomar o ritmo de crescimento minimamente necessário.

Durante a entrevista, ele reiterou que quer “enxugar” o estado,a partir da redução do número de ministérios.

Sobre os programas sociais, o tucano disse que vai aprimorá-los, ampliando as “boas políticas”.

Indagado sobre denúncias de corrupção no PT e no PSDB, Aécio disse que a diferença entre PT e PSDB é que petistas foram condenados pela Justiça no processo do mensalão, enquanto o julgamento do processo do mensalão mineiro ainda não foi concluído. “Eu não prejulgo. Não prejulguei os petistas e não vou prejulgar os tucanos”, sentenciou. “Posso garantir é que, no caso do PSDB, se eventualmente alguém for condenado, não será, como foi no PT, tratado como herói nacional, porque isso deseduca”, disparou o candidato tucano à presidência da república.

Ainda sobre a economia, o peessedebista disse que, se for eleito, adotará todas as medidas para controlar a inflação. Para ele, é necessário um “realinhamento” dos preços da energia e da gasolina. Aécio não quis esclarecer de que maneira fará esse realinhamento. 

PUBLICIDADE

“Quando e como, obviamente quando você tiver os dados sobre a realidade do governo é que você vai estabelecer isso. Eu não vou temer tomar aquilo que seja necessário. As medidas necessárias para controlar a inflação, retomar o crescimento e, principalmente, a confiança perdida no Brasil”, concluiu o tucano.

(Com Reuters)