Eleições

A 4 dias da eleição, Aécio Neves lança livro com história de sua vida

A editora Leya concedeu um exemplar ao InfoMoney antes de seu lançamento

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Um dos protagonistas de uma das eleições mais disputadas da história do Brasil, Aécio Neves, candidato à presidência da República pelo PSDB, lançou um livro sobre sua vida, que começa a ser vendido nesta quarta-feira (22) em livrarias de todo o Brasil. A editora Leya concedeu um exemplar ao InfoMoney antes de seu lançamento.

O livro, que leva o título “Quando a Política Vale a Pena”, narra lembranças da trajetória política e pessoal do presidenciável, cujo avô, Tancredo Neves, foi uma das figuras mais importantes e responsáveis pelo fim da ditadura militar, que ocorreu entre 1964 e 1984. Ele foi o primeiro a ser eleito presidente da República, mesmo que não por voto direto, após a redemocratização, mas faleceu antes mesmo de tomar posse, de diverticulite.

Aécio lutou pela democracia ao lado de seu avô, no movimento das Diretas Já, após ter sido secretário particular dele no governo de Minas Gerais. Desde então, foi eleito deputado federal por quatro mandatos seguidos, atuou como líder do PSDB na Câmara e como presidente da Câmara, foi eleito governador de Minas Gerais por duas vezes consecutivas, tendo deixado o cargo com um índice de aprovação superior a 90% para entrar para o senado, como o senador mais bem votado do estado.

Aprenda a investir na bolsa

O livro foi narrado por Aécio e escrito por uma equipe de ghostwriters, que também reuniu uma série de depoimentos e entrevistas histórcias do tucano.

Confira um trecho do livro:

“Hoje estou aqui as portas de um desafio que evoca, com naturalidade, a trajetória de meu avô. Aprendi com ele que a política, quando exercida com dignidade, pode ser uma nobre arte; e que convicção e firmeza podem coexistir com tolerância e cortesia. Testemunhei em seus gestos e escolhas, muitas delas silenciosas, o seu profundo amor e compromisso com o Brasil. Aprendi com ele que patriotismo e sentimento e sentido. Quando precisou escolher entre a sua conveniência pessoal e os interesses do país, não titubeou. Escolheu a pátria. Porque era a pátria que vivia dentro dele. Sempre me comovo quando lembro as palavras de Afonso Arinos dizendo que muitas pessoas deram a vida pelo Brasil, mas que Tancredo deu mais, deu a morte. Ha mais de trinta anos faço política. Olho em volta e nem sempre me orgulho do ambiente em que exerço meu oficio. Esfumaçou-se a era da alegria. Vivemos sob a égide do rancor. Mas, guiado pelo exemplo positivo e corajoso de meu avô, eu olho para o Brasil e me identifico com ele.”