Perspectivas

3 pesquisas eleitorais, resultado da Petrobras e crise na Ucrânia agitam a semana

Temporada de balanços contará com os números de 63 na próxima semana; dados de inflação e novo Ibovespa também estão no radar

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após três semanas com feriados, a bolsa brasileira volta a ter uma semana cheia nos próximos dias e promete ser bastante agitada, com 5 grandes eventos no cenário político, macroeconômico, incluindo também uma agenda repleta de resultados corporativos, com destaque para a Petrobras (PETR3; PETR4). Em primeiro lugar, a nova sequência de pesquisas eleitorais deve agitar o mercado. Serão 3 apenas na próxima semana.

Além das pesquisas DatafolhaIbope e Vox Populi, a sucessão presidencial terá, a partir deste sábado, um novo instituto na praça. Trata-se do Sensus, que pertence ao cientista político Ricardo Guedes e fechou parceria com a revista Istoé para a divulgação de sete pesquisas. A primeira sairá neste sábado, 3 de maio. Nesta pesquisa devemos ter o primeiro reflexo do pronunciamento da presidente Dilma no Primeiro de Maio.

Rumores indicam que esta pesquisa traria forte alta do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Vale lembrar que analistas destacam que as pesquisas eleitorais devem ditar o ritmo do mercado até outubro e que o mercado tem mostrado ânimo em ver queda da atual presidente nas intenções de voto, o que pode significar uma mudança nas políticas intervencionistas em certos setores da economia.

Aprenda a investir na bolsa

Além da pesquisa Sensus no final de semana, logo na segunda-feira será apresentado um novo levantamento, dessa vez solicitado pelo Ibope (importante ressaltar que esta pesquisa contemplará apenas os eleitores do estado do Ceará). Dois dias depois, na quarta-feira (7) será a vez de outra pesquisa Datafolha. Caso essa sequência de pesquisas mostrem quedas de Dilma e avanço dos concorrentes, principalmente Aécio Neves, poderemos ter uma mudança de cenário não só no cenário político, mas na Bolsa também.

Crise na Ucrânia
Nesta sexta-feira (2) o presidente norte-americano Barack Obama e a Chanceler alemã Angela Merkel realizaram uma conferência onde falaram, entre outros temas, sobre a situação na Ucrânia. Obama afirmou que as recentes sanções impostas à Rússia tem tido um bom efeito e que irá aguardar a realização das eleições na Ucrânia, no próximo dia 25 de maio, antes de decidir sobre novas imposições.

Durante o encontro, os dois líderes disseram que qualquer perturbação da eleição pela Rússia iria desencadear sanções mais duras nos principais setores da economia russa. Os líderes disseram ainda que estavam prontos para novas imposições,mas preferiram uma solução diplomática. Vale destacar que nesta manhã, rebeldes pró-Rússia foram mortos em uma ofensiva realizada pelo governo ucraniano, fazendo com que a Rússia pedisse uma reunião de emergência do Conselho Geral da ONU.

Temporada de resultados
E os balanços corporativos voltam a agitar o mercado. Serão pelo menos 60 resultados, sendo 21 empresas que fazem parte do Ibovespa, com destaque para a Petrobras, que apresenta seus números dos três primeiros meses do ano após o fechamento do mercado no dia 9 de maio. A companhia, que possui uma forte participação na carteira do índice, tem passado por um forte rali diante das especulações sobre pesquisas eleitorais.

Entre outros destaques do Ibovespa, a Ambev (ABEV3), Banco do Brasil (BBAS3), CSN (CSNA3), Eletropaulo (ELPL4), Gerdau (GGBR4), PDG Realty (PDGR3), Gafisa (GFSA3) e as companhias de telecomunicação Telefônica Brasil (VIVT4) e TIM (TIMP3). Fora do índice, teremos Smiles (SMLE3), AES Tietê (GETI4), Magazine Luiza (MGLU3) e Fleury (FLRY3).

Novo Ibovespa
Entra em vigor na segunda-feira, a nova carteira teórica do Ibovespa, que ficará em vigor até agosto. Entre as mudanças estão a saída da Dasa (DASA3) e a Prumo Logística (PRML3), enquanto a MMX Mineração (MMXM3) volta ao índice após 4 meses. Além disso, as ações PN da Klabin (KLBN4) serão substituídas pelas units KLBN11.

PUBLICIDADE

Vale lembrar que muitos fundos internacionais utilizam a carteira do Ibovespa como base para investimentos, ou seja, com as mudanças, muitos investidores devem arrumar suas posições, levando à possíveis oscilações mais fortes dos papéis na Bolsa.

IPCA
Por fim, na sexta-feira de manhã será divulgado o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a medida oficial de inflação do País. Segundo a equipe da Rosenberg Associados, a expectativa é que o resultado fique em 0,80% em abril, valor abaixo dos 0,92% registrados no mês anterior. De acordo com a análise deles, o valor deve ser favorecido pela queda da taxa de variação dos alimentos, caindo de 1,92% para 1,51%.

Se confirmada a projeção, a variação acumulada em doze meses passará de 6,15% para 6,42%, se aproximando de forma perigosa do teto da meta. Vale lembrar que o governo tem batalhado para controlar a inflação, utilizando principalmente a elevação da taxa básica de juros, a Selic, que atualmente está em 11% ao ano.