Pesquisa

10% aprovam e 69% reprovam o governo Dilma Rousseff, mostra CNI-Ibope

Em julho, a última pesquisa havia mostrado que 68% dos entrevistados avaliavam a administração da presidente como "ruim ou péssimo" e 21% consideravam o governo regular

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Ibope revelou mais uma pesquisa de avaliação da presidente Dilma Rousseff nesta quarta-feira (30), com a aprovação bom/ótimo do governo de Dilma oscilando para cima, passando de 9% para 10%. 69% consideram o governo ruim/péssimo e 21% veem o governo como regular. 

Em julho, a última pesquisa havia mostrado que 68% dos entrevistados avaliavam a administração da presidente como “ruim ou péssimo” e 21% consideravam o governo regular. Agora, aos 69%, o percentual de pessoas que considera o governo ruim ou péssimo é o maior registrado nos 27 anos da pesquisa CNI-Ibope. A avaliação dos dados revela que a queda na popularidade enfrentada por Dilma Rousseff neste início do segundo mandato é maior do que a registrada pelos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva.

O percentual da população que aprova a maneira de governar da presidente caiu de 15% para 14%.

Aprenda a investir na bolsa

O levantamento foi realizado entre os dias 18 e 21 de outubro, ouvindo 2.002 pessoas em 140 municípios. Todos os indicadores do levantamento ficaram dentro da margem de erro, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

“Perder popularidade no início do segundo mandato não é novidade. Mas a perda da presidente Dilma foi mais intensa”, observa o levantamento. Em dezembro de 2014, último mês do primeiro mandato, 40% da população considerava o governo Dilma ótimo ou bom. O número caiu para 10% agora em setembro de 2015, similar ao verificado no fim do governo de José Sarney, em 1989.  No início do segundo mandato de Fernando Henrique, o número dos que avaliavam o governo como ótimo ou bom diminuiu de quase 40% para 16%. No caso de Lula, o percentual recuou de 57% para cerca de 50%.

 A desaprovação do modo de governar da presidente passou de 83% para 82%, enquanto 77% afirmaram que não confiam na presidente. 

Por outro lado, informou a pesquisa, a popularidade melhorou um pouco entre as pessoas com mais de 55 anos de idade. Nessa camada da população, o percentual dos que aprovam a maneira de governar da presidente subiu de 20% em junho para 24% em setembro, e o número dos que desaprovam caiu de 75% para 70%. A popularidade da presidente também melhorou nas periferias das capitais. Nesses locais, o percentual dos que confiam na presidente aumentou de 13% em junho para 20% em setembro, e os que avaliam o governo como ótimo ou bom subiu de 6% para 10%. 

 


PUBLICIDADE

Coloque seu email abaixo e receba o estudo completo das melhores e piores ações da Bolsa com o dólar acima de R$ 4,00: