Em petrobras

Petrobras pode pagar R$ 400 milhões para viabilizar estádio do Corinthians

BNDES e BB estariam atrasando financiamento dessa quantia; Odebretch ameaça parar obras

Itaquerão Petrobras
(Odebretch)

SÃO PAULO - A Petrobras (PETR3; PETR4) pode vir a adquirir o direito de usar seu nome no Itaquerão, estádio em construção do Corinthians, pagando R$ 400 milhões para tal, noticou o jornal O Estado de S. Paulo na terça-feira (5). A empresa pode ter sido escalada pelo governo federal para salvar o estádio, que supostamente estaria sem financiamento.

A companhia tem longa tradição em patrocinar o futebol, já que é principalmente associada ao Flamengo na década de 90 e começo dos anos 2000 - além de ser a detentora do naming rights para o Campeonato Brasileiro. Contudo, é possível que a Petrobras esteja interessada em viabilizar a obra, que é peça-chave para a Copa do Mundo em São Paulo. 

No projeto inicial, o estádio teria custo de R$ 820 milhões, sendo que R$ 420 milhões seriam de títulos imobiliários emitidos pela prefeitura e o restante através de financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e Banco do Brasil. Com os aditivos do projeto, o estádio, localizado na Zona Leste paulistana, não deve sair por menos de R$ 1 bilhão. 

De acordo com um ex-dirigente de um time de futebol que não quis se identificar, o BB e o BNDES estariam atrasando esse financiamento por considerar que o investimento é impagável, o que justificaria a necessidade dos R$ 400 milhões disponibilizados pela Petrobras. Sem dinheiro para realizar o resto da obra, a Odebrecht ameaça interromper as obras se não receber a quantia - enquanto há rumores de que o estádio não esteja pronto para a Copa de 2014. 

A solução encontrada seria utilizar a Petrobras para aportar dinheiro no local, em troca do direito de estampar seu nome no estádio - prática comum na Europa. O Corinthians acredita que a venda dos naming rights é uma solução melhor do que permitir que a Odebrecht continue explorando o Itaquerão após a conclusão da obra, algo que tem sido ventilado na empreiteira.

O Itaquerão é considerado projeto fundamental para a Copa do Mundo de 2014, já que além de ser o estádio representante da cidade mais populosa do País e pertencente da maior rede hoteleira, ele deverá dar abertura ao campeonato, sediando o primeiro jogo da seleção brasileira.

O estádio é uma obra visada para a Copa e para o desenvolvimento da Zona Leste paulistana, embora tenha sofrido acusações de que o projeto só foi escolhido por conta do ex-presidente Lula, torcedor do Corinthians. As alternativas eram o novo estádio do Palmeiras e o Morumbi, estádio do São Paulo.

No momento, a Odebretch informa que faltam apenas 37% do estádio a serem concluídos, a pouco mais de um ano para o início da competição. Caso a obra pare e fique atrasada, a Fifa - entidade máxima do futebol - poderia cortar São Paulo da lista de cidades-sedes. Na última Copa do Mundo sediada no Brasil, em 1950, o principal estádio nacional, o Maracanã, começou a competição ainda incompleto - e só foi terminado com o torneio em suas fases finais. 

 

Contato