Em petrobras

Fundo de Soros reduz participação na Petrobras durante o segundo trimestre

Investidor vende ações ordinárias e compra pares preferenciais, dados spread entre papéis e maior pagamento de dividendos

SÃO PAULO - Alterando posições, o investidor bilionário George Soros diminuiu a alocação de seu maior investimento, ao reduzir sua exposição às ações da Petrobras no decorrer do segundo trimestre.

Nesse sentido, o Soros Fund Management vendeu 22 milhões de ADRs (American Depositary Receipts) ordinários da petrolífera, conforme comunicado da SEC (Securities Exchange Commission). Em contraparte, o investidor bilionário comprou 5,8 milhões de ADRs preferenciais da estatal brasileira.

Dividendos e spread
Para Luis Maizel, presidente do LM Capital Group, Soros se aproveita da diferença existente entre os dois tipos de ações da Petrobras, à medida que os papéis ordinários encontram-se 20% mais caros do que os preferenciais. "Ele está apenas aproveitando o spread", disse Maizel à Bloomberg.

Além da diferença nas cotações, o gestor William Landers da BlackRock lembra que as ações preferenciais fornecem ainda um dividendo mais atrativo. "Dado que provavelmente nunca haverá uma mudança no controle da Petrobras, não vejo razão para pagar um preço mais alto pelos papéis ordinários", disse o executivo da gestora de fundos.

Retorno e mudanças
Com cerca de US$ 24 bilhões em ativos sob vigilância, a Soros Fund Management relatou retorno de 9,3% no fundo Quantum Endowment durante o segundo trimestre, alinhada ao desempenho dos hedge funds no período, com retorno médio de 9,1%, de acordo com dados apresentados pela Hedge Fund Research.

Por fim, cabe ressaltar que Soros elevou sua participação na Hess, de 3,7 milhões de ações para 5,1 milhões de papéis; bem como reduziu as partes detidas na ConocoPhillips e na Macy's.

 

Contato