XP Investimentos

OFERECIDO POR
Conteúdo Patrocinado

O que é COE e como ele funciona

O Certificado de Operações Estruturadas é uma aplicação que une a segurança da renda fixa com a rentabilidade da renda variável

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Em meio à pandemia e com a Selic em seu menor patamar histórico (2,25% ao ano), o investidor percebeu que para conseguir rendimentos maiores precisará migrar da renda fixa para a renda variável. Mas nesta constatação surge uma dúvida: como conseguir equilibrar a exposição ao risco e retornos significativos em um ano de crise? Ou em qualquer momento? Um investimento que surge como opção de diversificação é o COE.

O que é o COE?

Nesse sentido, COE (Certificado de Operações Estruturadas) é um investimento que oferece justamente esse combo. Trata-se de uma aplicação que une a segurança da renda fixa com a rentabilidade da renda variável, através da diversificação de ativos.

O COE é versão brasileira das chamadas Notas Estruturadas, bastante populares nos EUA.

É uma estratégia que pode compor a carteira do investidor, com retornos atrelados às ações nacionais e estrangeiras, índices da B3 e bolsas americanas, como o SP&500, taxas de juros, commodities e moedas. Basicamente, o título é emitido pelo banco e tem rentabilidade baseada na variação de um dos ativos financeiros citados.

Principais características

A aplicação atende a diversos tipos de investidores, dos mais conservadores aos mais arrojados. Geralmente, possui um valor mínimo de R$ 5 mil com um prazo de vencimento fixado pelo emissor – que costuma variar de 2 a 5 anos. Além disso, tanto os ganhos, como as perdas costumam ser limitados. Isso dá previsibilidade ao investidor, que tem acesso a uma série de cenários possíveis antes de aplicar o dinheiro.

Os COEs podem ser de vários tipos e sua rentabilidade pode variar a depender da aplicação feita em cada produto. Por exemplo, um COE de ações poderá ter um desempenho muito diferente de um focado em ativos de renda fixa.

Dado isso, é importante conhecer as duas principais categorias de COE:

COE de Valor Nominal Protegido: essa opção garante que o investidor receberá de volta pelo menos o valor que investiu inicialmente na data de vencimento do título. Isso mesmo se os ativos de referência do produto tenham tido um desempenho negativo.

É importante mencionar que alguns COEs limitam o ganho dos investidores em um determinado patamar. Se o ativo de referência passar disso, continua sendo o fixo acordado.

COE de Valor Nominal em Risco: essa opção já não oferece nenhuma garantia. Por isso, geralmente, é mais indicada para quem tem um perfil de investimento mais moderado ou agressivo – por ser mais volátil.

Por que escolher o COE

As vantagens são:

– A flexibilidade em diferentes cenários já que há COEs para se ganhar na alta ou na queda do mercado, ou mesmo em ambos os cenários. Pode-se ganhar até mesmo em um momento mais estável.

–  Oportunidades mais sofisticadas, como câmbio, ações internacionais, fundos internacionais ou índices internacionais, por exemplo.

– COEs não possuem taxa de administração, custódia ou come-cotas, como outras modalidades de aplicações.

– O COE conta com a tributação regressiva do Imposto de Renda, quanto maior o prazo do investimento, menor a alíquota de IR.

– O investidor brasileiro tem acesso ao mercado estrangeiro sem a necessidade de envio de recursos ao exterior.

Invista com a ajuda da melhor assessoria: abra uma conta gratuita na XP.

Do outro lado, os COEs não são garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos, o que significa que se o emissor quebrar você pode não receber de volta o seu capital. Além disso, é importante se atentar que é uma aplicação que não tem liquidez a curto prazo.

Para saber mais sobre o COE, assista o vídeo abaixo:

Para saber mais e investir em COE com a XP Investimentos, clique aqui.

Disclaimer: CONTEÚDO PATROCINADO XP INVESTIMENTOS CCTVM S.A. Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “XP”) e tem caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Os prazos, taxas e condições aqui contidas são meramente indicativas. As informações contidas neste material foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros discutidos neste material podem não ser adequados para todos os investidores. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido. A XP Investimentos se coloca à disposição para clientes que desejam obter informações, tirar dúvidas ou fazer reclamações por meio de seu Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC). O contato do SAC é o telefone 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.