Shark Tank Brasil

OFERECIDO POR
Conteúdo Patrocinado

O não que rendeu um milhão de reais

Após serem rejeitados em 2017, a startup CatMyPet retornou ao tanque para encarar os tubarões.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores
arrow_forwardMais sobre

capmypet
CatMyPet participou pela segunda vez do programa Shark Tank Brasil

Quando Agnes Cristina e Diogo Petri, donos da startup CatMyPet, especializada em produtos para gatos, participaram do programa Shark Tank Brasil, em 2017, eles não imaginavam que um não abriria tantas portas. “É claro que saímos chateados, mas não desistimos e fomos buscar o que estava sendo feito de errado”, conta Agnes.

À época, o casal pediu um aporte de R$ 400 mil em troca de 15% do negócio. No entanto, o valor considerado alto do valuation e o fato da empresa ser focada apenas em gatos afastou os sharks.

PUBLICIDADE

“Apesar de sairmos sem o aporte, a exposição do programa nos abriu muitas portas. Nossa marca ficou bem mais conhecida”, explica a dona da startup.

Mas ainda não era o suficiente. Por isso, Agnes e Diogo foram atrás de maneiras de melhorar a CatMyPet. “Nós percebemos que não estávamos sabendo transmitir para as outras pessoas o valor da nossa empresa”, conta Agnes.

Após participarem e ganharem diversos concursos, em especial um contrato de US$ 30 milhões com o shark americano Kevin Harrington, o casal decidiu novamente enfrentar os tubarões brasileiros.

“Tinha ficado um gostinho amargo da nossa última participação, então decidimos nos inscrever e passar por todo o processo novamente”, explica Agnes.

Porém, engana-se quem pensa que foi mais fácil mergulhar no tanque dessa vez. “Deu muito mais medo, porque a responsabilidade era maior”, complementa.

O casal, no entanto, não decepcionou os fãs da marca e conseguiu fisgar dois tubarões — e recebendo quatro vezes mais do que estavam pedindo. João Appolinário e Camila Farani deram um aporte de R$ 1 milhão em troca de 10% da CatMyPet e royalties do produto inovação da empresa (10% para varejo e 5% atacado).

PUBLICIDADE

Para Agnes, a rejeição na primeira vez em que eles participaram foi determinante para a empresa prosperar. “O não é mais educador que o sim. Após ter sua proposta rejeita, o empreendedor precisa fazer uma reflexão e tentar entender o que precisa de ajustes no modelo de negócio dele. Muitas vezes ele tem um produto muito bom, mas não sabe se comunicar”, conta.

Em 2017, o valuation da CatMyPet era de R$ 2 de milhões. Atualmente ele é de R$ 10 milhões.

O Shark Tank Brasil é exibido toda sexta-feira, às 22h, no Sony Channel Brasil.