5 de junho – Dia mundial do meio ambiente

A sociedade está cada vez mais consciente e atenta ao conceito de desenvolvimento sustentável

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Publicidade

A sustentabilidade faz parte da agenda do século XXI, é o maior desafio que a humanidade já enfrentou. Atualmente, são sete bilhões de habitantes no planeta, onde a carência de requisitos básicos para uma vida digna é evidente. O importante, é a compreensão de que o comportamento das pessoas, a economia e os negócios precisam passar por grandes transformações nas próximas décadas. Para crescer e alcançar sucesso, os empreendedores precisam estar atentos à demanda deste novo mundo.

Segundo a ambientalista, Vininha F. Carvalho , editora da Revista Ecotour ( www.revistaecotour.com.br), – “o problema é que não existe um imaginário disponível para substituir o que foi criado pela sociedade de consumo por anos a fio. Não contamos ainda com uma rede cultural que dê apoio à transição para um modelo de vida sustentável. Se de um dia para o outro acabarmos com o consumo, tal como o concebemos hoje, poderá despertar um desequilíbrio social”.

Sustentabilidade é um conceito sistêmico, relacionado com a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana.

Continua depois da publicidade

Muitas empresas buscam descobrir o foco da sustentabilidade, criando departamentos, desenvolvendo projetos, incorporando inovações tecnológicas, e muitas outras ações sustentáveis estão sendo implantadas.

A preocupação com o futuro do planeta é recente. No início dos anos 70, um grupo formado por cientistas, intelectuais e empresários, denominado Clube de Roma, discutiu a incompatibilidade entre o modelo de desenvolvimento vigente e o meio ambiente. Perceberam que, se o consumo dos recursos naturais continuasse a crescer naquela proporção o planeta não suportaria tal impacto.

Os modernos sistemas de gestão e de administração estabelecem claramente em seus preceitos que as ações de responsabilidade e de sustentabilidade socioambiental são hoje, não apenas um diferencial a ser buscado e conquistado pelas corporações, mas, sim, atividades imprescindíveis a serem adotadas, incorporadas e desenvolvidas costumeira e sistematicamente por todas as áreas de atuação das empresas.

“Unir forças com os fornecedores para encontrar soluções mais ecológicas e socialmente responsáveis, permite às organizações, destacarem-se face à concorrência, além de criar valor”, ressalta Vininha F. Carvalho.

Na outra ponta, práticas ambientais corretas, gestão de recursos naturais explorados no processo de produção, respeito, transparência e lealdade com a concorrência fazem parte do espectro de critérios sociais e ecológicos na agenda diretiva da empresa, relativa ao seu desenvolvimento econômico e sustentável.

A sociedade está cada vez mais consciente e atenta ao conceito de desenvolvimento sustentável. Aquele capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações e sem esgotar os recursos para o futuro.

“As empresas que desenvolvem uma gestão realmente comprometida com esta visão têm vantagens competitivas que podem, muitas vezes, aumentar sua rentabilidade”, afirma a ambientalista.

Os consumidores aprovam esta iniciativa, na medida em que tais práticas se revertam em vantagens sustentáveis a todos, sejam de natureza humana preservativa e ambiental, sejam com melhoras sensíveis à vida cotidiana e do próprio planeta.

Que tal se, no ato da compra, obtivéssemos informações sobre a origem do produto, seu processo de fabricação, uso de matérias-primas e condições de trabalho dos profissionais envolvidos na produção, entre outras? E mais, termos a preocupação sobre o que faremos com os aparelhos antigos, que abrirão espaço nas nossas salas para a chegada dos novos?

Devemos sim consumir. Mas devemos também cobrar mais informações e transparência dos fabricantes sobre suas práticas sustentáveis, seja durante a produção ou na oferta de soluções para o correto descarte de tais produtos.

Assim, teremos um cenário em que produtores eco eficientes e consumidores conscientes desempenham papéis decisivos na busca pelo desenvolvimento sustentável. Sabemos hoje que somos estimulados a consumir o tempo todo.

“O conceito de um ser sustentável nada mais é do que a concepção e o comprometimento de cada indivíduo para com suas ações e seus desdobramentos na sociedade e meio ambiente. Abrange vários níveis de concepção, desde a vizinhança local até o planeta por inteiro”, conclui Vininha F. Carvalho.

Empresas, governos e a sociedade precisam estar preparados para sobreviver num novo cenário diante dos dramáticos desafios ambientais e sociais.
Website: http://www.revistaecotour.com.br

Tópicos relacionados