As decisões que atrasam o sonho do investidor de FIIs de se aposentar com dividendos

Em entrevista ao Liga de FIIs, o influenciador Fábio Louzada deu dicas para quem quer viver de dividendos

Wellington Carvalho

Publicidade

Os FIIs têm se consolidado como uma alternativa mais simples e acessível para quem quer investir no mercado imobiliário. Apesar das características, o produto exige cuidados para reduzir riscos e potencializar retornos, alerta Felipe Louzada, planejador financeiro com mais de 300 mil seguidores nas redes sociais.

Ele participou da edição desta semana do Liga de FIIs, que tem apresentação de Maria Fernanda Violatti, head de análise de fundos listados da XP, Thiago Otuki, economista do Clube FII, e Wellington Carvalho, jornalista do InfoMoney.

Na avaliação de Louzada, um dos principais erros que o investidor de FIIs pode cometer é escolher um fundo com base apenas no último rendimento distribuído.

GRATUITO

CNPJ DE FIIS E AÇÕES

Para informar FIIs e ações no IR 2024 é preciso incluir o CNPJ do administrador; baixe a lista completa para facilitar a sua declaração

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

“O investidor pega um ranking e escolhe o FII que tem o maior dividend yield (taxa de retorno com dividendos), ignorando a origem daquele indicador elevado”, observa.

A distribuição de um dividendo extraordinário, completa, pode induzir o investidor menos atento ao erro de perpetuar um aumento momentâneo dos rendimentos.

Leia também:

Continua depois da publicidade

Louzada também recomenda ao investidor que está montando um portfólio de FIIs focar na diversificação da carteira – ou seja, na escolha de vários fundos de diferentes segmentos.

“E os fundos imobiliários permitem, mesmo com pouco recurso, diversificar bastante o portfólio”, diz Louzada, lembrando que há várias opções de fundos atualmente que custam na casa de R$ 10 a cota. “Hoje, com dez fundos na carteira, o investidor está exposto a mais de 300 imóveis”, calcula.

Além disso, ele reforça que o mercado oferece diversos tipos de FIIs, desde os focados em escritórios até os especializados em ativos rurais, passando por fundos de logística, shoppings, renda urbana, cemitérios e de recebíveis – que investem em títulos de renda fixa.

Para quem tem como objetivo se aposentar com os dividendos de FIIs e viver de renda, o reinvestimento dos dividendos na fase de construção do patrimônio é fundamental para o sucesso da estratégia, afirma.

“Quem não reinveste os rendimentos perde [o efeito bola de neve], uma das coisas mais legais dos fundos imobiliários”, pondera Louzada, que se refere à capacidade de o valor investido gerar um montante cada vez maior de dividendos.  

Leia também:

Confira estas e outras dicas do Fábio Louzada na edição desta semana do Liga de FIIs. O programa vai ao ar todas as terças-feiras, às 19h, no canal do InfoMoney no Youtube. Você também pode rever todas as edições passadas.

Newsletter

Liga de FIIs

Receba em primeira mão notícias exclusivas sobre fundos imobiliários

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Wellington Carvalho

Repórter de fundos imobiliários do InfoMoney. Acompanha as principais informações que influenciam no desempenho dos FIIs e do índice Ifix.