BM&Fbovespa

Vale a pena comprar mini contrato de dólar agora?

Na esteira da valorização do dólar, os minicontratos futuros de dólar (WDO) negociados na BM&FBOVESPA atingiram marcas históricas

SÃO PAULO – O dólar voltou a subir forte nos últimos dias, com a crise na Argentina que reacendeu a desconfiança dos investidores em relação às economias emergentes. Desde o dia 17 de janeiro, a moeda norte-americana já subiu quase 4% em relação ao real.

Na esteira dessa valorização, os minicontratos futuros de dólar (WDO) negociados na BM&FBOVESPA atingiram marcas históricas de negócios na última semana. No dia 24, foram registrados 15.650 negócios e no dia 23 foram 12.827.

Rafael Pacheco, da Arco Investimentos, explica que o WDO representa uma exposição de US$ 10 mil no mercado futuro de câmbio, mas o investidor consegue comprar cada contrato com uma margem de R$ 3 mil na corretora. Isso quer dizer que existe uma alavancagem de quase 8 vezes o valor da aplicação (pela cotação atual da moeda).

O principal risco do investimento é a variação da cotação do dólar na direção contrária à esperada pelo investidor. “Se o investidor comprar um minicontrato de dólar e a cotação do dólar cair 2%, por exemplo, haverá perda de US$ 200 (cerca de R$ 480) por contrato, já que um minicontrato equivale a uma exposição de US$ 10mil”, explica Rafael. Se o investidor tiver investido R$ 3 mil, a perda será em torno de 16%.

Ao mesmo tempo, em caso de valorização da moeda, os ganhos são mais acentuados por conta desta alavancagem. Por isso, o investidor deve estar ciente da forte volatilidade e dos riscos ao aplicar com este tipo de margem.

Para Pacheco, a oscilação do dólar tem aberto oportunidades para os daytraders (investidores que buscam oportunidades de curtíssimo prazo, comprando e vendendo ativos no mesmo dia). “Estes investidores devem ter atenção especial com os leilões do Banco Central, que podem gerar fortes oscilações na cotação da moeda”, aponta.

Já os investidores tradicionais podem utilizar o mercado de câmbio para diversificação de carteira, ou para eventual proteção (hedge) em razões de compromissos futuros em dólar. “Os investidores que estão planejando viagens ao exterior ou pretendem fazer compras de produtos em dólar, podem comprar contratos de dólar para evitar a perda de poder de compra em caso de valorização da moeda. Por outro lado, investidores que possuem recebíveis em dólar podem vender estes contratos para se protegerem da desvalorização da moeda”, explica o profissional.

Para Paulo Possas, sócio da Eagle Capital, o investidor deve ficar atento com a compra de dólares. “Somos a favor de uma diversificação de moedas mas com uma gestão cuidadosa e total consciência dos riscos assumidos. A fuga para o dólar não é um piquenique grátis. Nem acreditamos que essa alta do dólar seja muito violenta. Se dará por surtos expressivos mas não muito grandes. Melhor planejar o portfolio com cuidado”, disse recentemente, em ralatório aos cotistas.

Como investir?
Segundo Pacheco, qualquer investidor com mais de 18 anos pode adquirir estes contratos, através do Home Broker ou plataformas de negociação de qualquer corretora que opere no mercado BM&F.

PUBLICIDADE

“O WDO possui vencimento mensal, portanto o código de negociação muda todo primeiro dia útil de cada mês. O minicontrato atual está sendo negociado sob o código WDOG14, com vencimento para 03/02/2014. O próximo vencimento será o WDOH14, com vencimento para março”, conclui.