Central de FIIs

Ifix fecha sessão com leve queda de 0,02% e encerra semana estável

O fundo Bluemacaw Renda+ FoF (BLMR11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 2,13%

Por  Wellington Carvalho -

O IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na B3 – fechou a sessão desta sexta-feira (08) com queda de 0,02%, aos 2.792 pontos. O fundo Bluemacaw Renda+ FoF (BLMR11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 2,13%. Confira os demais destaques de hoje ao longo do Central de FIIs.

A taxa de vacância do setor logístico no Brasil apresentou queda de 0,34 ponto percentual entre o primeiro e o segundo trimestre de 2022, de acordo com levantamento da Cushman & Wakefield. O indicador alcançou 10,98% e manteve a tendência de queda observada nos últimos meses.

Segundo o estudo, os preços pedidos para locação de galpões não demostraram grandes variações, se mantendo quase estáveis e encerrando o trimestre passado em R$ 20,87 por metro quadrado.

Fonte: Cushman & Wakefield (*) Asking Rent (Preços de locação)/ Vacancy (taxa de vacância)

Ainda em relação aos preços de locação, os valores apresentaram um aumento de 3,39% no Sudeste na comparação entre o primeiro e o segundo trimestre. No Norte, a redução foi de 0,1% e, no Nordeste, 3,8%.

Entre as regiões com as menores taxas de vacância estão o Norte (1,8%) e Nordeste (2,4%). Nos dois casos, há previsão de entrega de novos galpões nos próximos trimestres. Em relação ao Sul e Sudeste, o percentual de desocupação ficou em 12,7% e 11,7%, respectivamente.

A vacância no segmento logístico se manteve em tendência de queda mesmo com a entrega de 572 mil metros quadrados de novos galpões entre abril e junho. O número ficou quase 10% abaixo do registrado no trimestre anterior.

As novas entregas se concentraram principalmente no Sudeste, com 478 mil metros quadrados – 83,63% do total – e no Sul, com 93 mil metros quadrados – 16,37%. Dos espaços entregues, 53% já estavam pré-locados, principalmente na região Sudeste.

Em relação à absorção líquida – saldo entre o estoque ocupado e devolvido – o trimestre registrou 568 mil metros quadrados, crescimento de 34% em relação aos primeiros três meses do ano, aponta a Cushman & Wakefield.

Maiores altas desta sexta-feira (8)

TickerNomeSetorVariação (%)
BLMR11Bluemacaw Renda+ FOFTítulos e Val. Mob.2,13
FIIB11Industrial do BrasilHíbrido1,92
HSML11HSI MALLShoppings1,69
XPLG11XP LogLogística1,63
BPFF11Brasil Plural AbsolutoTítulos e Val. Mob.1,18

Maiores baixas desta sexta-feira (8):

TickerNomeSetorVariação (%)
BTCR11BTG Pactual Credito ImobiliárioTítulos e Val. Mob.-2,49
FEXC11BTG Pactual Fundo de CRITítulos e Val. Mob.-2,16
HCTR11HectareOutros-2,13
RBRP11RBR PropertiesOutros-2,12
NCHB11NCH High YieldTítulos e Val. Mob.-1,88

Fonte: B3

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

XP Industrial amplia área locada em Jundiaí, Rio Bravo Renda Varejo conclui venda de agência bancária e mais assuntos

XP Industrial (XPIN11) amplia área locada para a G Tech em Jundiaí (SP)

Em fato relevante divulgado nesta quinta-feira (7), o fundo XP Industrial comunicou a expansão da área locada para G Tech Soluções Ambientais Exportadora e Importadora no empreendimento BBP Jundiaí, localizado no interior de São Paulo.

Inicialmente, o contrato assinado no mês passado previa a locação de pouco mais de mil metros quadrados durante os próximos 24 meses.

Com o aditamento do contrato, explica o comunicado ao mercado, o locatário passará a ocupar uma área bruta locável (ABL) total de 2.217 metros quadrados.

Sem considerar a atualização monetária, os gestores calculam que a receita acumulada do novo contrato representa um acréscimo no faturamento da carteira de aproximadamente R$ 0,04 por cota.

Com o novo inquilino, a vacância do XP Industrial cairá de 17,3% para 16,5%, de acordo com último relatório gerencial divulgado pelo fundo.

Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11) conclui venda de agência bancária em Belo Horizonte (BH)

O FII Rio Bravo Renda Varejo assinou, nesta quinta-feira (7), a escritura para a venda do imóvel localizado na rua Curitiba, em Belo Horizonte (MG). Com a assinatura, o fundo concluiu a alienação do espaço, anunciada no final de junho.

Pelo imóvel – alugado para Caixa Econômica Federal –, a carteira recebeu R$ 12 milhões, equivalente a 60% do valor de aquisição, de acordo com comunicado ao mercado.

O fundo também havia negociado agência bancária em Uberlândia (MG) por R$ 6 milhões, valor 83% acima do custo da aquisição do espaço.

Com as duas vendas, o fundo soma 10 alienações de imóveis locados para bancos, tendo um ganho de capital de R$ 30 milhões com as transações.

A venda de agências bancárias faz parte da estratégia adotada pelo fundo em 2018 como forma de reciclar o portfólio, composto por 81 imóveis.

Locatários atrasam pagamento e Max Retail (MAXR11) reduz dividendos em até R$ 0,07 por cota

O fundo Max Retail comunicou ao mercado, nesta quinta-feira (07), que não recebeu de alguns locatários a totalidade do aluguel referente ao mês de maio de 2022.

De acordo com os gestores, o atraso no pagamento representará uma redução na próxima distribuição de dividendos de aproximadamente R$ 0,07 por cota.

N próximo dia 14, o Max Retail depositará R$ 0,61 por cota aos investidores, montante equivalente a um retorno mensal com dividendos de 0,79%.

Com patrimônio líquido de R$ 135 milhões, o portfólio do fundo é composto por nove imóveis comerciais locados para empresas como Americanas (AMER3), Bompreço e Torra Torra.

Dividendos de hoje

Confira quais os 28 fundos imobiliários que distribuem rendimentos nesta sexta-feira (8):

TickerFundoRendimento
VERE11Vereda R$  5,33
JPPA11JPP Allocation Mogno R$  2,04
EDFO11BEd. Ourinvest R$  1,65
TGAR11TG Ativo Real R$  1,57
CACR11Cartesia Recebíveis Imobiliários R$  1,38
GGRC11GGR Covepi Renda R$  0,94
VTLT11Votorantim Logística R$  0,83
RBLG11RB Capital Logístico R$  0,80
AIEC11Autonomy Edifícios Corporativos R$  0,80
FVPQ11Via Parque Shopping R$  0,75
VSHO11Votorantim Shopping R$  0,63
PATL11Patria Logística R$  0,58
QAGR11Quasar R$  0,40
PATC11Pátria Edifícios Corporativos R$  0,32
NVHO11Novo Horizonte R$  0,08
ATCR11Haz R$  0,07
RBVO11Rio Bravo Crédito Imobiliário II R$  0,04

Fonte: InfoMoney

Obs.: Tickers com final diferente de 11 se referem aos recibos e direitos de subscrição dos fundos.

Giro Imobiliário: IPCA sobe 0,67% em junho, puxado pela alta dos alimentos; dado fica levemente abaixo do esperado

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,67% em junho na comparação com maio. Em maio, o crescimento mensal do IPCA havia sido de 0,47%. A alta foi influenciada principalmente pelo aumento de 0,80% no grupo de alimentação e bebidas, que tem grande peso no índice geral (21,26%).

No ano, a inflação acumulada é de 5,49% e, nos últimos 12 meses, de 11,89%.

O IPCA ficou levemente abaixo das expectativas do mercado, pois o consenso Refinitiv projetava uma alta mensal de 0,7% e anual de 11,9%. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“O resultado foi influenciado pelo aumento nos preços dos alimentos para consumo fora do domicílio (1,26%), com destaque para a refeição (0,95%) e o lanche (2,21%). Nos últimos meses, esses itens não acompanharam a alta de alimentos nos domicílios, como a cenoura e o tomate, e ficaram estáveis. Assim como outros serviços que tiveram a demanda reprimida na pandemia, há também uma retomada na busca pela refeição fora de casa. Isso é refletido nos preços”, explica o gerente da pesquisa, Pedro Kislanov.

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Compartilhe