Renda fixa

Tesouro Direto: taxas dos títulos públicos operam em alta nesta quarta-feira

Em maio, vendas líquidas do programa alcançaram R$ 760 milhões

Painel de ações e gráfico (Crédito: Shutterstock)

SÃO PAULO – Os títulos públicos negociados pelo Tesouro Direto, que operavam com uma pequena abertura dos prêmios na manhã desta quarta-feira, viram o movimento se acentuar durante a tarde.

O dia é marcado por um sentimento de maior aversão ao risco por parte dos investidores, após a elevação dos casos de coronavírus no Japão e na Alemanha. O temor é de que essa nova onda de infecções leve a uma recuperação mais fraca da economia global.

“A abertura das taxas é pela aversão ao risco que está prevalecendo no exterior, junto com a percepção de que o Brasil está menos preparado para enfrentar todo esse cenário de forte recessão econômica mundial”, afirma Luciano Rostagno, estrategista-chefe do Banco Mizuho. A revisão do FMI para a previsão do PIB do Brasil, de -5,3% para -9,1%, também pesa para os negócios, diz o especialista.

Entre os papéis prefixados, o prêmio pago pelo título com vencimento em 2023, que estava em 4,18% nesta manhã, ante 4,16% no pregão passado, subia agora a tarde para 4,26%. O juro pago pelo mesmo papel com prazo em 2026, por sua vez, que era de 6,43% na tarde de ontem, e avançava hoje pela manhã para 6,44%, nesta tarde estava em 6,61%.

Entre os títulos indexados à inflação, o prêmio do Tesouro IPCA+ 2026, que subia de 2,72%, na sessão passada, para 2,74%, nesta manhã, durante a tarde foi para 2,77%. A taxa do mesmo papel com vencimento em 2035, que começou o dia estável em relação ao patamar da sessão anterior em 4,12%, subia nesta tarde para 4,16%.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta quarta-feira (24):

TD-24.06-tarde.jpg (687×632)

Senado em destaque

No Brasil, o ponto alto da agenda do dia recai sobre a votação no Senado do marco regulatório do saneamento básico. Nas contas do Ministério da Economia, o arcabouço pode ter um impacto de aproximadamente R$ 750 bilhões até 2033.

Ainda em destaque, o Senado aprovou ontem o adiamento do primeiro e do segundo turno das eleições municipais deste ano, inicialmente previstos para outubro, para os dias 15 e 29 de novembro, respectivamente. O texto segue para apreciação da Câmara.

Cena global

No ambiente internacional, além da disseminação da Covid-19, contribui para um dia de menor apetite por risco a notícia de que os EUA planejam impor tarifas a importações vindas da União Europeia e Reino Unido.

Também lidando com os efeitos da pandemia, a Argentina informou ontem uma queda de 5,45% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre, na comparação com igual período do ano passado. Em relação ao quatro trimestre de 2019, a queda foi de 4,8%.

Balanço de maio

O Tesouro Direto divulgou na terça-feira o relatório mensal com os resultados de maio, quando as vendas de títulos públicos pelo programa somaram R$ 2,12 bilhões. Já os resgates alcançaram R$ 1,36 bilhão, sendo R$ 1,3 bilhão relativo a recompras e R$ 57,9 milhões, a vencimentos. Dessa forma, as vendas líquidas alcançaram R$ 760 milhões no mês.

O título mais demandado pelos investidores no mês passado foi o indexado à Selic (Tesouro Selic), cuja participação nas vendas atingiu 50,2%. Os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) corresponderam a 29,6% do total, e os prefixados, a 20,2%.

Em relação ao prazo de emissão, 25,6% das vendas em maio corresponderam a títulos com vencimentos acima de dez anos. As vendas de títulos com prazo entre cinco e dez anos representaram 20,1% e aquelas com prazo entre um e cinco anos, a 54,3% do total.

No boletim, o Tesouro destaca ainda a utilização do programa por pequenos investidores, uma vez que 85,5% das vendas de títulos no mês passado foram de até R$ 5 mil. O valor médio por operação foi de R$ 5.703,43.

Em maio, o estoque do Tesouro Direto alcançou R$ 61,2 bilhões, um aumento de 1,6% em relação ao mês anterior (R$ 60,2 bilhões) e de 10,1% ante maio de 2019 (R$ 55,5 bilhões).

O número de investidores ativos chegou a 1,275 milhão, um aumento de 23,2% em um ano. No mês, o acréscimo foi de 28,1 mil novos investidores ativos.

Invista na carreira mais promissora dos próximos 10 anos: aprenda a trabalhar no mercado financeiro em um curso gratuito do InfoMoney!