Renda fixa

Tesouro Direto: taxas de títulos prefixados sobem nesta quarta-feira

Mercados monitoraram cenário político, no Brasil e no exterior, onde atenção recaiu sobre ata do Fomc e acordo para pacote de estímulos nos EUA

SÃO PAULO – Os prêmios pagos pelos títulos públicos negociados via Tesouro Direto operavam sem direção definida na tarde desta quarta-feira (19). Enquanto os papéis indexados à inflação apresentavam queda nas taxas, os prefixados subiam.

No Brasil, as atenções estiveram voltadas hoje para a elaboração da proposta de Orçamento para 2021, que deve ser enviada ao Congresso pelo governo federal até o final do mês.

A pressão por mais recursos cresce nas diferentes pastas, o que pode ameaçar o teto de gastos.

Leia também:
Títulos de crédito privado retomam nível pré-crise; especialistas apontam onde estão as oportunidades

Um estudo da Instituição Fiscal Independente (IFI) divulgado hoje pelo jornal O Estado de S.Paulo mostrou que as medidas de contenção de despesas com pessoal previstas no próprio teto de gastos, chamadas de gatilhos, têm potencial para abrir espaço de R$ 40,4 bilhões no Orçamento em 2021 e 2022.

Ontem, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou em videoconferência realizada pelo Santander que o foco do governo deveria estar na criação de instrumentos que viabilizem o cumprimento do teto de gastos e nas reformas administrativa e tributária.

“O que precisamos decidir é quais são nossas prioridades. Temos metade de agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro com uma eleição municipal no meio. Nós temos a questão do auxílio emergencial, que o governo vai ter que pensar uma solução”, disse o parlamentar durante a transmissão.

Maia disse também que não acredita ser possível avançar com a privatização da Eletrobras no parlamento. Segundo ele, o tema enfrenta dissenso nas duas casas legislativas e ainda pode prejudicar o avanço de pautas urgentes para a saúde fiscal do país.

Mercado hoje

No Tesouro Direto, o título prefixado com vencimento em 2023 pagava uma taxa de 4,08% nesta tarde, ante 4,00%, na terça-feira (18). O prêmio pago pelo mesmo papel com prazo em 2026, por sua vez, subia de 6,42% para 6,51%.

Entre os títulos indexados à inflação, o papel com juros semestrais e vencimento em 2055 pagava uma taxa anual de 3,86%, ante 3,91% a.a. anteriormente, enquanto o prêmio pago pelo Tesouro IPCA+2035 recuava de 3,70% para 3,63% ao ano.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta quarta-feira (19):

Fonte: Tesouro Direto

Ambiente internacional

No cenário externo, o sentimento era de maior aversão ao risco após a ata da última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) revelar preocupação dos diretores do Federal Reserve (o banco central americano) com a “atividade econômica, o emprego e a inflação” em meio à pandemia de coronavírus.

Além da apreensão com o crescimento econômico global, os membros do Fomc também demonstraram que estão atentos aos riscos do sistema financeiro.

Mais cedo, a sinalização da presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, de que os democratas podem estar dispostos a fazer mais cortes em sua proposta de estímulos à economia para chegar a um acordo com os republicanos animou os mercados.

Ainda nos EUA, destaque para a oficialização de Joe Biden como candidato democrata na eleição presidencial, marcada para 3 de novembro.

Curso gratuito do InfoMoney ensina como lucrar na Bolsa fazendo operações que podem durar poucos minutos ou até segundos: inscreva-se!