RADAR INFOMONEY AO VIVO Petrobras anuncia plano para 2021 a 2025 e mercado não gosta; assista

Petrobras anuncia plano para 2021 a 2025 e mercado não gosta; assista

Renda fixa

Tesouro Direto: taxas de títulos públicos recuam nesta quinta-feira

Queda nos prêmios refletiu sinalização de maior atuação do Banco Central no câmbio, com o dólar encerrando o pregão em R$ 5,58

Real - Brazilian Currency. Money bills on a wooden table and a man holding a pen.
(Rmcarvalho/Getty Images)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As taxas dos títulos públicos negociados via Tesouro Direto apresentam queda nesta quinta-feira (21), dia de feriado na cidade de São Paulo, e após o presidente do Banco Central indicar que a crise poderá ter maior duração que o previsto e que a autoridade monetária poderá elevar as atuações no mercado de câmbio, se necessário.

“A crise pode ser mais longa e o desvio fiscal pode ser maior”, afirmou Roberto Campos Neto durante evento virtual organizado ontem pela Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib).

Questionado sobre qual seria o piso para a Selic, atualmente em 3% ao ano, o presidente do BC pontuou que o tema da redução dos juros básicos é dinâmico. “Depende um pouco do que está acontecendo no mundo – tivemos uma saída de recursos (dólares, do Brasil) – e temos a parte da condição interna”, afirmou.

Segundo Campos Neto, os países com dívidas maiores geralmente encerram o processo de corte de juros com taxas “um pouco maiores também”, sinalizando que, se a situação no país ficar muito pior, pode atrapalhar o momento de juros baixos.

Contribuiu para o maior otimismo do mercado doméstico, a afirmação do presidente Jair Bolsonaro de que irá sancionar o mais rápido possível o projeto de ajuda aos estados, vetando o aumento nos rendimentos do funcionalismo público.

Mercado hoje

Nesta quinta-feira, o dólar fechou o pregão com queda de 1,89%, a R$ 5,58.

No Tesouro Direto, o papel indexado à inflação com prazo em 2026 pagava uma taxa de 3,15% ao ano, ante 3,33% a.a. na tarde de ontem. Os títulos com vencimentos em 2035 e 2045, por sua vez, pagavam a inflação mais 4,31% ao ano, ante 4,42% a.a. anteriormente.

Entre os papéis prefixados, o juro do título com vencimento em 2023 recuava de 4,63% para 4,52% ao ano, enquanto o prêmio pago pelo Tesouro Prefixado com juros semestrais 2031 recuava de 7,97% para 7,70% ao ano.

Assim como o Tesouro Direto, a B3 opera normalmente nesta quinta-feira, mantendo todas as suas atividades de registro, negociações, custódia, compensação e liquidação de operações, em horários regulares, durante o “megaferiado” na capital paulista.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos ofertados nesta quinta-feira (21):

Fonte: Tesouro Direto

Noticiário externo

Entre os destaques do dia na cena externa, investidores monitoraram a piora das relações entre Estados Unidos e China. Ontem, o presidente americano, Donald Trump, voltou a culpar os chineses pela pandemia de coronavírus. “Foi a incompetência da China, e nada mais, que causou esse massacre em todo o mundo”, escreveu, em sua conta no Twitter.

Ainda nos EUA, a atenção recaiu sobre os pedidos de seguro-desemprego no país, que somaram 2,44 milhões na última semana, em linha com a expectativa mediana dos economistas consultados pela Bloomberg, que apontava para 2,4 milhões de pedidos.

Como ler o mercado financeiro e aproveitar as oportunidades: conheça o curso A Grande Tacada, do Fernando Góes – de graça nos próximos dias!