Renda fixa

Tesouro Direto: taxas operam mistas com ISM, câmbio e petróleo

Prefixados oferecem até 12,68% nesta quarta-feira; investidores acompanham dados do Livro Bege

Por  Bruna Furlani, Katherine Rivas -

As taxas dos títulos públicos operam mistas na tarde desta quarta-feira (1). Os títulos prefixados apresentam ganhos na rentabilidade de até 9 pontos-base, enquanto as taxas dos atrelados à inflação recuam.

Segundo Luciano Costa, sócio e economista-chefe da Monte Bravo Investimentos, os juros sobem repercutindo dados da economia americana. O índice de atividade fabril, do Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, sigla em inglês), apresentou bons resultados, com uma leitura de 56,1 em maio, vindo de 55,4 em abril. “Isso acabou puxando também a alta nos Treasuries – títulos do Tesouro americano- durante o dia”, afirma.

O economista cita também a alta nos preços do barril de petróleo Brent que superaram o patamar de US$ 116, provocando um movimento altista nos juros globais. Investidores também acompanharam a divulgação do Livro Bege, na tarde desta quarta-feira (1).

O terceiro fator foi a depreciação do real frente ao dólar, que também contribuiu com o salto nas taxas. Por volta das 15h56, o dólar comercial apresentava alta de 0,83%, cotado a R$ 4,7906.

No cenário local, Costa cita o risco fiscal, com debate sobre o imposto ICMS e possível perda de arrecadação dos governos estaduais.

Dentro do Tesouro Direto, as taxas dos prefixados de curto e médio prazo avançavam até 9 pontos-base na última atualização desta quarta-feira (1).

O Tesouro Prefixado 2025 e o Tesouro Prefixado 2029 ofereciam um retorno anual de 12,48% e 12,49%, respectivamente, superior aos 12,39% e 12,40% vistos ontem.

Já o Tesouro Prefixado 2033, com juros semestrais, apresentava uma rentabilidade anual de 12,68% às 15h25, acima dos 12,60% registrados na sessão anterior.

Nos títulos atrelados à inflação, as taxas recuavam entre 3 e 7 pontos-base. Os títulos com vencimento em 2035, 2045 e 2055 apresentavam estabilidade.

O maior ganho real entre os títulos chegava a 5,81%, no caso do Tesouro IPCA+ 2055.

Confira os preços e as taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto na tarde desta quarta-feira (1): 

Fonte: Tesouro Direto

Livro Bege

“Todos os doze Distritos do Federal Reserve relataram crescimento econômico contínuo”, apontam dados do Livro Bege.

Segundo publicação do Federal Reserve, desde o último documento, publicado no final de abril, a maioria dos distritos registraram crescimento leve ou modesto da economia, enquanto quatro indicaram crescimento moderado.

Produção industrial, segundo diretores, continua crescendo, mas o varejo encontrou resistência por conta da alta dos preços. “Os consumidores enfrentaram preços mais altos e os contatos com imóveis residenciais trouxeram fraqueza, observada à medida que os compradores enfrentavam preços altos e taxas de juros crescentes”, diz.

O aumento das taxas de juros, a inflação geral, a invasão russa da Ucrânia e as interrupções dos casos de COVID-19 completam as principais preocupações que afetam os planos domésticos e de negócios.

Oito diretores do Federal Reserve afirmam que expectativa de crescimento diminuíram, segundo o Livro Bege.Três distritos ainda expressaram especificamente preocupações sobre uma recessão.

Roberto Campos Neto

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, defendeu que a maior arrecadação poderia ser usada pra subsidiar alimentos e energia no Brasil.

Ele fez a afirmação hoje em videoconferência com instituições financeiras internacionais. Para ele, os subsídios poderiam amenizar o custo social da inflação sobre a população de menor renda.

“Temos um grande custo social. Preços de alimentos estão subindo, preço da energia está subindo, e temos a parcela mais pobre da população com necessidade de alguma assistência. Transferir uma parte do choque positivo para resolver as questões sociais, via subsídios. Essa é uma solução boa”, disse ponderando que “uma vez que você cria os subsídios, há o risco de se tornar um gasto permanente”.

Para Campos Neto, nem sempre a dinâmica do mercado pode corrigir choques de preços causados por eventos externos.

Conta de luz e Petrobras

Na cena política, o destaque está na notícia de que a Câmara aprovou ontem requerimento de urgência para a tramitação do projeto de lei que destina créditos tributários cobrados indevidamente de consumidores para abater a conta de luz.

Foram 371 votos favoráveis e nenhum contrário. O texto determina que os créditos tributários cobrados de forma indevida, que somam R$ 60 bilhões, sejam devolvidos aos consumidores integralmente.

Também ontem (31), a Câmara aprovou requerimento para tramitação em regime de urgência do projeto de lei de autoria do líder do PT, Reginaldo Lopes (MG), que prevê regras de transparência para a composição dos preços de combustíveis definidos pela Petrobras.

O PL 3677/2021 determina a divulgação de informações sobre os valores dos componentes que influenciam os preços de derivados de petróleo vendidos no País pela estatal.

Calculadora de renda fixa
Baixe uma planilha gratuita que compara a rentabilidade dos seus investimentos de renda fixa:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe