Tesouro Direto: taxas seguem direções mistas com expectativa por decisões de juros

Investidores esperam anúncios dos BCs brasileiro e americano na próxima quarta-feira (31)

Leonardo Guimarães

Publicidade

As taxas dos títulos públicos oferecidos via Tesouro Direto operam sem direção definida nesta segunda-feira (29), em uma sessão com a agenda de indicadores esvaziada e marcada pela expectativa por decisões de juros no Brasil e Estados Unidos. 

O Comitê de Polícia Monetária do Banco Central (Copom) se reúne a partir de amanhã para decidir sobre a taxa Selic. O anúncio de corte da taxa para 11,25% ao ano é consenso no mercado financeiro. 

Nos Estados Unidos, o Federal Reserve (banco central dos EUA, Fed), deve manter os juros no intervalo entre 5,25% e 5,5% ao ano. Investidores ficarão de olho no comunicado da autarquia e na entrevista coletiva de seu presidente, Jerome Powell, que podem dar dicas sobre quando os juros serão cortados no país. As decisões dos BCs brasileiro e americano serão anunciadas na próxima quarta-feira (31). 

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

Na Europa, Peter Kazimir, dirigente do Banco Central Europeu (BCE) e presidente do BC da Eslováquia, comentou hoje que um início dos cortes de juros em junho é mais provável do que em abril, como tem sido precificado pelo mercado. Para ele, as taxas já alcançaram o seu pico e o próximo passo será uma redução, mas ainda considera cedo para decidir quando este corte acontecerá.

Hoje o Banco Central divulgaria o Boletim Focus, que reúne a estimativa de agentes do mercado financeiro para inflação, PIB (Produto Interno Bruto), Selic e outros indicadores. Porém, a autarquia adiou a divulgação para amanhã devido à mobilização de servidores do BC. 

No Tesouro Direto, as taxas de prefixados caíam na primeira atualização do dia, às 9h24. O Tesouro Prefixado 2026 pagava 9,63% ao ano ante 9,66% na sexta-feira e a taxa do papel com vencimento em 2029 caía de 10,34% para 10,31%. 

Continua depois da publicidade

Nos títulos de inflação, o movimento era diferente. A taxa do Tesouro IPCA+ 2045 tinha leve alta de 5,70% para 5,71%, enquanto a do Tesouro IPCA+ 2040 subia de 5,58% para 5,60%. 

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto na manhã desta segunda-feira (29):