Tesouro Direto: juros dos títulos de inflação sobem após ata do Fomc

No Brasil, reoneração da folha de pagamentos e Boletim Focus são destaques

Leonardo Guimarães

Publicidade

Os juros dos títulos do Tesouro Direto operam em alta nesta quinta-feira (22). Investidores repercutem sinais de cautela dados pelo Fomc (Comitê Federal de Mercado Aberto do Federal Reserve) na condução da política monetária dos Estados Unidos. 

Ontem, a ata da última reunião do Fomc mostrou que os integrantes do grupo demonstraram preocupação com o corte precoce dos juros. “Os participantes destacaram a incerteza associada a quanto tempo uma postura restritiva da política monetária precisaria ser mantida” para retornar a inflação à meta de 2% do Federal Reserve (Fed, banco central americano), diz a ata. 

Os diretores “em geral” concordaram que precisavam de “maior confiança” na queda da inflação antes de considerarem cortar as taxas, diz a ata, numa linguagem que pareceu enfatizar uma abordagem cuidadosa e talvez mais lenta nos cortes das taxas, que os investidores esperam agora começar em junho.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

CDB 230% do CDI

Destrave o seu acesso ao investimento que rende mais que o dobro da poupança e ganhe um presente exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

No Brasil, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, confirmou que a reoneração da folha de pagamentos será encaminhada ao Congresso Nacional como projeto de lei em regime de urgência. O assunto foi ponto de atrito entre o governo e parlamentares nos últimos meses. 

Ainda no cenário local, o Banco Central divulgou hoje o Boletim Focus da semana. O relatório mostra que a expectativa de agentes financeiros para o IPCA em 2024 caiu de 3,82% para 3,81%, enquanto a previsão para o próximo ano subiu de 3,51% para 3,52%. As projeções para 2026 e 2027 seguem em 3,50%. 

Para o PIB (Produto Interno Bruto), a mediana das previsões deste ano avançou de expansão de 1,60% para 1,68%. O mercado espera crescimento de 2% de 2025 a 2027. 

Continua depois da publicidade

O mercado ainda repercute o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro, que subiu 2,8% em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado. Ante dezembro de 2023, a variação foi de -0,4%. Os números vieram em linha com o esperado pelo consenso LSEG de analistas. 

A rentabilidade do Tesouro IPCA+ 2045, ativo de inflação com maior remuneração, subia na primeira atualização do dia, às 9h23, para 5,71% ante 5,69% na manhã de ontem. O Tesouro IPCA+ 2055 entregava juro real de 5,64% ante 5,62% ontem. 

Nos prefixados, destaque para a taxa do título com vencimento em 2035, que subia de 10,71% para 10,75%. O Tesouro Prefixado 2031 pagava 10,72% ante 10,70% na véspera. 

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto na manhã desta quinta-feira (22):

(Com Reuters)