Tesouro Direto: taxas de prefixados avançam para até 10,60% com ata do Copom e exterior

Lá fora, inflação da zona do euro e decisão de juros no Japão movimentam o mercado

Leonardo Guimarães

Ilustração sobre juros (Shutterstock)

Publicidade

Depois da divulgação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, as taxas dos títulos públicos seguem direções distintas nesta terça-feira (19). Investidores também olham para o exterior. 

Segundo a ata da última reunião do Copom, encerrada no dia 13 de dezembro, o BC avalia que houve progresso deflacionário relevante no Brasil, mas ainda considera que há um caminho longo a percorrer na ancoragem de expectativas e retorno da inflação à meta. Segundo a autarquia, o cenário “exige serenidade e moderação na condução da política monetária”. 

Na zona do euro, a inflação ao consumidor foi de 2,4% em novembro ante o mesmo mês do ano passado, em linha com o esperado pelo consenso LSEG. Na comparação com outubro deste ano, a alta foi de 2,9%. Os números foram divulgados hoje pelo Eurostat, escritório de estatísticas da União Europeia. 

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

Na Ásia, o Banco do Japão decidiu não alterar sua política de taxas de juro negativas, mantendo a referência em -0,1%. O banco central japonês alertou sobre “incertezas extremamente altas” que afetam a economia do país, dizendo que o núcleo da inflação permanecerá acima de 2% durante todo o ano fiscal de 2024. 

No Tesouro Direto, o Tesouro IPCA+ 2029 entregava rentabilidade real de 5,23% na primeira atualização do dia, às 9h22, contra taxa 5,25% ontem. A taxa do Tesouro IPCA+ 2032 caía de 5,36% para 5,33%. Já o juro do Tesouro IPCA+ 2045 ia na contramão dos papéis de inflação e subia de 5,55% para 5,56%. 

Os juros de prefixados tinham leve alta, para a até 10,60%, caso do Tesouro Prefixado 2033, que ontem pagava 10,59% ao ano. A taxa do Tesouro Prefixado 2029 avançava de 10,26% para 10,30%, enquanto a do Tesouro Prefixado 2026 subia de 9,72% para 9,75%.

Continua depois da publicidade

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto na manhã desta terça-feira (19):