Renda fixa

Tesouro Direto: em dia de agenda esvaziada no Brasil e de dados importantes nos EUA, taxas dos títulos públicos operam sem direção única nesta 4ª

Investidores monitoram mais um dado de inflação vindo dos Estados Unidos, além de ata do Fomc

SÃO PAULO – Na volta do feriado que suspendeu as negociações no Tesouro Direto e na Bolsa brasileira, as atenções estão voltadas para mais um dado de inflação nos Estados Unidos, que veio ligeiramente acima do esperado pelo mercado.

Destaque também para a ata da última reunião do comitê do Fed (Federal Reserve, banco central americano), que trouxe que o processo de redução de compra de títulos (tapering) pode ser iniciado em meados do próximo mês ou em dezembro.

Já na cena local, o dia é de agenda econômica esvaziada. Com isso, investidores monitoram declarações sobre a PEC dos precatórios. Nesse contexto, o mercado de títulos públicos negocia sem direção única na tarde desta quarta-feira (13). Isso porque os prêmios pagos pelos papéis prefixados caem, enquanto as taxas dos títulos atrelados à inflação operam próximas da estabilidade.

Na atualização das 15h30, o título prefixado com vencimento em 2024 oferecia remuneração de 9,95% ao ano, abaixo dos 9,98% ao ano vistos no começo da manhã. O percentual também é inferior ao oferecido pelo título na última segunda-feira (11), que era de 10,02%. Já os papéis com vencimento em 2031 recuavam de 10,92% para 10,88% ao ano, após o almoço. Um dia antes, o papel pagava um retorno de 10,95%.

Já nos títulos atrelados à inflação, os papéis Tesouro IPCA+ com juros e vencimento em 2035 e 2045 ofereciam retorno real de 4,99% ao ano durante a tarde desta quarta-feira  – mesmo valor visto na segunda-feira (11).

No caso do Tesouro IPCA+ com vencimentos em 2055 e que oferece juros semestrais, o juro pago avançava de 5,04%, no começo da manhã, para 5,07% ao ano, na atualização das 15h30. Com isso, o percentual pago à tarde estava em linha com o valor oferecido na sessão anterior, que era de 5,06%.

Confira os preços e as taxas atualizadas de todos os títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto na tarde desta quarta-feira (13):

Taxas Tesouro Direto
Fonte: Tesouro Direto

Cenário internacional

O destaque na cena externa está na divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) nos Estados Unidos nesta manhã. Dados do Departamento do Trabalho americano apontam que o índice subiu 0,4% no mês passado. O indicador veio ligeiramente acima da estimativa dos economistas consultados pela Reuters, que projetavam crescimento de 0,3%.

Enquanto isso, na base anual, o indicador avançou 5,4%, ante estimativa de alta de 5,3%.

PUBLICIDADE

O núcleo dos preços, por sua vez, avançou 0,2% na base mensal, em linha com o esperado. Na comparação anual, a alta do núcleo foi de 4%, também em linha com as projeções.

Destaque também para a apresentação da ata da última reunião do Comitê de Mercado Aberto (ou Fomc, Federal Open Market Committee), que foi feita agora à tarde.

No documento, os integrantes do Federal Reserve destacaram que o início do programa de redução de estímulos pode ocorrer em meados do próximo mês ou em dezembro. No entanto, o anúncio mesmo só deve ser feito na próxima reunião do comitê em novembro.

A ata trouxe ainda que a autoridade monetária chegou a discutir um plano para reduzir o programa de compra de ativos em US$ 15 bilhões ao mês, mas que “diversos” integrantes do comitê mostraram preferência por uma redução mais rápida.

A avaliação é de que, desde que a recuperação econômica permaneça, o processo de tapering deve ser gradual e pode ser concluído em meados do próximo ano.

Ainda nos Estados Unidos, investidores repercutem a aprovação final da lei que eleva temporariamente o teto da dívida do governo americano a US$ 28,9 trilhões. A aprovação ocorreu nesta terça-feira (12) pela Câmara americana. Com isso, o prazo para um calote foi empurrado até dezembro.

A lei agora precisa ser promulgada por Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, antes de 18 de outubro.

Precatórios, Petrobras e BC

Em dia de agenda econômica esvaziada, o mercado repercute a fala de Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, que disse nesta quarta-feira (13) que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios vai a plenário na próxima semana e que espera uma vitória. Segundo ele, o texto está numa fase mais consolidada.

PUBLICIDADE

“Na próxima semana, todos os prazos estarão vencidos e a gente trará a plenário. Eu acredito numa vitória tranquila dessa PEC, porque há a necessidade realmente de se organizar o orçamento do Brasil”, afirmou Lira durante entrevista à CNN Rádio. 

Mais uma vez, os altos preços dos combustíveis e a Petrobras (PETR3;PETR4) foram alvo de críticas do presidente da Câmara. Nesta quarta-feira (13), Lira voltou a dizer que a petroleira não pode apenas distribuir recursos aos acionistas e falou sobre a privatização da empresa.

“Há uma política que tem que ser revista, porque ela nem é pública e nem é privada, completamente. Ela só distribui e escolhe os melhores caminhos para performar recursos para distribuir dividendos”, disse. E depois emendou: “Essa é a pergunta que tem que ser feita: não seria o caso de privatizar a Petrobras? Não seria a hora de se discutir qual é a função da Petrobras no Brasil?”

Investidores também acompanharam a fala de Fabio Kanczuk, diretor de política econômica do Banco Central, durante evento do HSBC nesta quarta-feira. Na ocasião, o executivo disse que o ritmo de alta de 1 ponto percentual da Selic é “mais do que suficiente para 2022”. 

O dirigente ponderou, contudo, que esse ajuste de 1 ponto porcentual não é um compromisso e que o BC pode alterá-lo se for necessário. “Se ritmo da inflação enlouquecer, posso achar que ritmo de 1 pp não será mais suficiente.”

Kanczuk falou ainda que com esse risco fiscal, não dá para “evitar política monetária mais apertada”.

<b>Calcule sua renda com FIIs</b> Baixe uma planilha gratuita que mostra o <a href=”https://www.infomoney.com.br/planilhas/fundos-imobiliarios-dividendos/”>retorno com dividendos de uma carteira de fundos imobiliários</a>:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.