Renda fixa

Tesouro Direto: confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta quinta-feira

No Brasil, investidores monitoraram prévia da inflação, revisão do PIB pelo BC e reunião do CMN; nos EUA, foco recaiu sobre impactos do coronavírus

(Getty Images)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As taxas dos títulos públicos negociados via Tesouro Direto viraram para queda na tarde desta quinta-feira (25), após apresentarem leve alta pela manhã.

Entre os destaques do dia, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial, registrou leve alta de 0,02% em junho na comparação com maio, após ter registrado baixa de 0,59% no mês anterior.

O resultado veio acima da expectativa mediana dos economistas consultados pela Bloomberg, que era de deflação de 0,06% na comparação mensal. Apesar disso, este é o menor resultado para um mês de junho desde 2006, quando a taxa foi de -0,15%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No ano, o IPCA-15 acumula alta de 0,37% e, em 12 meses, de 1,92%.

Com a economia brasileira sendo fortemente impactada pelo coronavírus, que segue avançando no país, o Banco Central (BC) revisou, no Relatório Trimestral de Inflação, a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) de estabilidade, prevista em março, para uma retração de 6,4% neste ano.

Segundo o BC, a projeção para o PIB anual considera que o recuo no segundo trimestre será o maior observado desde 1996, início do atual Sistema de Contas Nacionais Trimestrais.

“Espera-se que tal contração seja seguida de recuperação gradual nos dois últimos trimestres do ano, repercutindo diminuição paulatina e heterogênea do distanciamento social e de seus efeitos econômicos”, escreveu o BC no relatório.

No RTI, o BC manteve sua estimativa de inflação para 2020 no cenário de referência, que utiliza câmbio e juros constantes para o horizonte de projeções. Este cenário indica um IPCA de 1,9% para este ano. O porcentual é o mesmo que constou na ata e no comunicado do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom). No relatório anterior, de março, a projeção era de 3,0%.

Para 2021, o cenário de referência indica que o IPCA ficará em 3,0%, também igual à ata e ao comunicado. No RTI de março, o porcentual era de 3,6%. Já a projeção para o IPCA de 2022, pelo cenário de referência, está em 3,6%. No RTI anterior, o porcentual calculado era de 3,8%.

Nos cálculos do cenário de referência, o BC considerou uma Selic de 3,00% ao ano e um dólar a R$ 4,95.

Ainda hoje, investidores seguem monitoram a reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), que se reúne nesta quinta-feira e pode definir uma meta de inflação inferior a 3,5% ao ano para 2023, segundo aponta a Bloomberg.

Mercado hoje

No Tesouro Direto, o título indexado à inflação com vencimento em 2026 pagava uma taxa de 2,71% ao ano, ante 2,77% a.a. na tarde de quarta-feira (24). Os papéis com prazos em 2035 e 2045, por sua vez, ofereciam um prêmio anual de 4,13%, frente aos 4,16% a.a. pagos anteriormente.

Entre os papéis com retorno prefixado, o juro pago pelo Tesouro Prefixado 2023 cedia de 4,26% para 4,17% ao ano, enquanto a taxa do mesmo papel com prazo em 2026 recuava de 6,61% para 6,40% ao ano.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta quinta-feira (25):

Fonte: Tesouro Direto

Cena global

Nos Estados Unidos, a atenção recaiu hoje sobre o número de novos pedidos de auxílio-desemprego, que somaram 1,48 milhão na última semana, acima da expectativa do consenso Bloomberg de mercado, de 1,32 milhão. Na semana passada, foram realizados 1,51 milhão de pedidos.

Ainda na maior economia do mundo, o PIB dos EUA registrou queda anualizada de 5% no primeiro trimestre deste ano, de acordo com a terceira estimativa do indicador. O resultado veio em linha com o projetado pelos analistas consultados pela Bloomberg.

Apesar disso, este foi o pior desempenho da economia americana desde 2008, durante a crise financeira, confirmando o forte impacto da pandemia na atividade.

Invista na carreira mais promissora dos próximos 10 anos: aprenda a trabalhar no mercado financeiro em um curso gratuito do InfoMoney!