Renda fixa

Tesouro Direto: com preocupações em torno de PEC dos precatórios, títulos públicos operam em alta nesta 5ª

Taxas de alguns títulos prefixados chegam a 11,06% nesta quinta-feira (7); aversão ao risco ganha força com temores fiscais no Brasil

Por  Bruna Furlani -

SÃO PAULO – Após um movimento de maior alívio nos juros no começo da manhã desta quinta-feira (7), as preocupações em torno da PEC dos precatórios começaram a pesar sobre os negócios e elevaram o sentimento de aversão ao risco nas taxas durante a tarde.

O mercado repercute o texto protocolado pelo deputado federal Hugo Motta (Republicanos-PB) sobre o parecer da Proposta de Emenda à Constituição dos Precatórios (PEC 23/2021).

Já na cena externa, investidores monitoram o acordo no Congresso dos Estados Unidos para ampliar o teto de gastos públicos até o fim do ano.

Apesar de a melhora no radar internacional, as preocupações com a parte fiscal no Brasil ajudaram a fazer o mercado de títulos públicos negociados no Tesouro Direto operar com alta nas taxas na tarde desta quinta-feira (7). O destaque está nos prêmios pagos pelos papéis prefixados.

Na atualização da tarde, a remuneração do título prefixado com vencimento em 2026, por exemplo, era de 10,47% ao ano, contra 10,36% no início do dia. O percentual também está acima do juro oferecido na sessão anterior, que era de 10,33%. O juro pago pelo título prefixado com vencimento em 2031, por sua vez, era de 11,06%, acima dos 10,94% registrados um dia antes.

Entre os títulos atrelados à inflação, o juro real pago pelo Tesouro IPCA+ com vencimento em 2055 avançava de 5,03% para 5,06% ao ano, na atualização das 15h30. Anteriormente, o papel oferecia retorno real de 5,02%. No mesmo horário, o juro real oferecido pelo Tesouro IPCA+ com vencimento em 2026 era de 4,70% ao ano, acima dos 4,66% registrados um dia antes.

Confira os preços e as taxas atualizadas de todos os títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto na tarde desta quinta-feira (7):  

Taxas Tesouro Direto
Fonte: Tesouro Direto

PEC dos precatórios e improbidade

Na frente política, as atenções estão voltadas para o texto do deputado Hugo Motta (Republicanos-PB), que foi protocolado hoje na Comissão Especial da PEC dos precatórios. O parecer, no entanto, veio sem referência ao auxílio emergencial e com um fundo fora do teto de gastos.

O texto estava previsto para ser votado hoje, mas a votação foi adiada. Agora, a análise deve ser feita na próxima quarta-feira (13).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O substitutivo foi apresentado um dia após o encerramento do prazo de 10 sessões plenárias para os parlamentares apresentarem emendas à proposta encaminhada pelo governo federal em agosto.

Assim como era esperado, o Senado aprovou projeto ontem projeto que prorroga a isenção do ICMS para diversos setores por até 15 anos. A proposta se insere no âmbito da guerra fiscal dos estados e beneficia principalmente quatro setores: portuário, aeroportuário, comercial e agropecuário. Agora, o texto segue para sanção presidencial.

Também na quarta-feira, a Câmara dos Deputados concluiu a votação do projeto que revisa a Lei de Improbidade Administrativa, matéria que seguirá agora para sanção presidencial, após ter sido apreciada pelo Congresso de forma acelerada.

Segundo a Agência Câmara, a maior alteração do texto é a exigência de dolo (intenção) para que agentes públicos sejam responsabilizados. Danos causados por imprudência, imperícia ou negligência não poderão ser configurados como improbidade.

Na véspera, o plenário da Câmara dos Deputados também aprovou o repasse adicional de 1% das receitas com Imposto de Renda e Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) aos municípios.

Como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) foi votada em segundo turno e já foi aprovada pelos senadores, o texto vai agora à promulgação. Não cabe possibilidade de veto do presidente da República.

Cena internacional

No cenário externo, o destaque está na informação de que os legisladores chegaram a um acordo para aumentar o teto da dívida americana no curto prazo, segundo Chuck Schumer, líder da maioria no Senado americano.

Ontem (6), Mitch McConnell, líder da minoria do Senado americano, já tinha dito que republicanos permitirão que os democratas usem procedimentos normais para uma extensão emergencial do teto da dívida, em um valor fixado para cobrir os níveis atuais de gastos até o mês de dezembro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ainda nos Estados Unidos, o número de pedidos de auxílio-desemprego no país teve queda de 38 mil na semana encerrada em 2 de outubro, a 326 mil, segundo dados com ajustes sazonais publicados nesta quinta-feira (7) pelo Departamento do Trabalho americano.

O resultado ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam 345 mil solicitações. Já o total de pedidos da semana anterior foi ligeiramente revisado para cima, de 362 mil a 364 mil.

O número de pedidos continuados, por sua vez, teve recuo de 97 mil na semana encerrada em 25 de setembro, a 2,714 milhões. Esse indicador é divulgado com uma semana de atraso.

O mercado agora se prepara para o dado que é considerado o mais importante da semana e vai sair amanhã: o payroll, que mostra a criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos e a taxa de desemprego do país.

Calcule sua renda com FIIs
Baixe uma planilha gratuita que mostra o retorno com dividendos de uma carteira de fundos imobiliários:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe