Tesouro Direto

Tesouro Direto: título paga a inflação mais 3,27% ao ano nesta segunda-feira

Investidores repercutem possibilidade de acordo comercial entre EUA e China ainda este ano

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – As taxas oferecidas pelos títulos públicos negociados no Tesouro Direto, programa que possibilita a compra e venda de papéis por investidores pessoas físicas por meio da internet, apresentavam alta na tarde desta segunda-feira (25).

No ambiente internacional, as declarações do conselheiro de segurança nacional dos Estados Unidos, Robert O’Brien, animaram os investidores. Segundo a autoridade, um acordo comercial inicial com a China ainda é possível até o fim deste ano. Pela manhã, o “Global Times”, jornal do Partido Comunista chinês, disse que os dois países estão “muito perto” desse acordo.

No Brasil, mercados seguem repercutindo a divulgação do Relatório Focus, do Banco Central. A pesquisa semanal com instituições financeiras mostrou um aumento das projeções de crescimento da economia e da inflação para este ano.

PUBLICIDADE

Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a estimativa foi elevada de 3,33% para 3,46% ao fim de 2019, mas mantida em 3,60% para 2020, e em 3,75% para 2021. As expectativas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, por sua vez, subiram de 0,92% para 0,99% até dezembro, e de 2,17% para 2,20% para 2020.

Já as projeções para a taxa Selic avançaram de 4,25% para 4,50% ao fim de 2020, se mantendo nos demais cenários: 4,50% em 2019 e 6,00% em 2021.

No Tesouro Direto, o título atrelado à inflação com vencimento em 2024 pagava uma taxa de 2,30% ao ano, ante 2,22% a.a. na abertura do dia. O investidor podia aplicar uma quantia mínima de R$ 58,34 (recebendo uma rentabilidade proporcional à aplicação) para investir no papel, ou adquirir o título integralmente por R$ 2.917,11.

Já nos papéis com vencimentos em 2035 e 2045, a taxa avançava de 3,20% para 3,27% ao ano.

Entre os títulos com rentabilidade prefixada, o Tesouro Prefixado 2025 oferecia um prêmio de 6,56% ao ano, ante 6,38% a.a. anteriormente, enquanto o prêmio pago pelo Tesouro Prefixado 2022 avançava de 5,25% para 5,39% ao ano.

Confira, a seguir, os preços e as taxas dos títulos disponíveis no Tesouro Direto:

Fonte: Tesouro Direto

PUBLICIDADE

Saia da poupança e faça seu dinheiro render mais: abra uma conta gratuita na Rico

Balanço do Tesouro Direto

Em outubro, as vendas de títulos públicos do Tesouro Direto voltaram a superar os resgates, desta vez em R$ 49,5 milhões, segundo o Tesouro Nacional. No mês, as vendas chegaram a quase R$ 2 bilhões, enquanto os resgates somaram R$ 1,9 bilhão. No período, o estoque do programa atingiu um montante de R$ 59,2 bilhões, um aumento de 13% sobre outubro de 2018. Na comparação mensal, a alta foi de apenas 0,7%

Assim como nos meses anteriores, o título mais demandado pelos investidores foi o Tesouro Selic, utilizado para reserva de emergência por conta da alta liquidez, cuja participação nas vendas atingiu 42,5%, abaixo dos 50,2% apresentados em setembro. Na sequência, apareceram os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA e Tesouro IPCA+ com juros semestrais), com 38,4% das vendas, e os prefixados, com 19,1%.

Com relação ao número de investidores ativos, este chegou a 1,2 milhão, um crescimento de 62% nos últimos 12 meses. Em outubro, o acréscimo foi de aproximadamente 19,4 mil novos investidores ativos.

Guias InfoMoney

Tesouro Direto Tesouro Direto