Gestora

SPX Capital zera posição vendida em moedas emergentes

A posição havia sido montada entre março e abril do ano passado, e ficou mais relevante ao longo do segundo semestre

Rogério Xavier, da SPX, durante evento da XP nesta terça. Crédito: Divulgação/XP

A SPX Capital, uma das maiores gestoras de recursos independentes do Brasil, se desfez de uma aposta contra moedas emergentes.

A gestora, que tem cerca de R$ 40 bilhões sob gestão, encerrou a exposição direcional vendida em moedas de países emergentes, segundo sua carta mensal de maio. A posição havia sido montada entre março e abril do ano passado, e ficou mais relevante ao longo do segundo semestre.

“Mesmo tendo a economia mundial entrado em uma profunda recessão devido ao choque causado pela Covid-19, com fortes contrações do PIB no 1º semestre de 2020, o foco atual é na recuperação, que já está em curso,” disse a SPX. A gestora também citou a expectativa de que os bancos centrais e autoridades fiscais apoiarão a recuperação “incondicionalmente.”

PUBLICIDADE

O índice MSCI de moedas emergentes subiu cerca de 2% em junho em meio ao otimismo com a recuperação global e com alguns países iniciando o processo de reabertura da economia. No ano, o índice apresenta queda de 3,9%.