Em onde-investir / renda-fixa

Dá para ganhar 1% ao mês com meu dinheiro?

Se antes era fácil conseguir uma rentabilidade de 1% ao mês apenas com produtos conservadores, hoje isso não é mais uma realidade; assessores de investimentos indicam aplicações

Reais
(Shutterstock)

SÃO PAULO – A taxa básica de juros passou de 14,25% ao ano em 2017 para 6,5% ao ano atualmente, seu menor nível histórico. Com a forte diminuição da Selic também foram reduzidos os ganhos das aplicações de renda fixa – se antes era fácil conseguir uma rentabilidade de 1% ao mês apenas com produtos conservadores, hoje isso não é mais uma realidade.

“Os investidores que se sentiam confortáveis com seus investimentos em renda fixa terão que buscar alternativas para obter rendimentos superiores. A rentabilidade da renda fixa depende muito da taxa de juros e de sua percepção”, afirma o assessor de investimentos Alex Frias, da Manhattan Investimentos.

Ele lembra que quem quiser manter uma carteira conservadora não vai conseguir mais do que 0,61% ao mês atualmente. “É o que você ganha com um CDB que paga 120% do CDI, por exemplo”, diz. Portanto, vai ser preciso diversificar as aplicações para tentar atingir essa rentabilidade de 1% – sempre adequando ao seu perfil do investidor. “E ainda assim não será fácil  com os juros atuais”, alerta.

Na própria renda fixa existem opções um pouco mais arriscadas que podem garantir um retorno mais interessante. Um exemplo são as debêntures incentivadas, que são isentas de imposto de renda. “Muitas são negociadas a 5,5% mais a inflação atualmente”, afirma. “Com a meta de inflação próxima de 4,25% ao ano, o investimento pagaria em torno de 9,75% a.a. líquido de IR”, diz Frias.

Ou seja, apesar de ser um retorno considerável, ainda não chega a 1% ao mês. E há ainda o risco de crédito, já que debêntures não tem garantia do FGC (Fundo Garantidor de Créditos) em caso de quebra do emissor. “Como já houve casos de empresas que não honraram os pagamentos, é preciso uma boa analise antes de escolher esse produto”, ressalta.

Bruno Ponciano, assessor de investimentos da Aequilibrium Investimentos, destaca que a única maneira de conseguir um rendimento mais elevado atualmente  é com a diversificação da carteira incluindo aplicações que envolvem renda variável – e que portanto possuem risco de perdas. Neste caso é preciso sempre avaliar seu perfil de risco e preencher o formulário de suitability, que vai indicar quais os investimentos mais adequados para cada pessoa.

Uma boa opção atualmente são os fundos multimercados de gestores renomados e com bom histórico de rendimento (track record). “Esses fundos fazem alocação em moedas, juros e em ações, e tiverem resultados muito positivos no último ano”, afirma Frias.

Para quem tem perfil moderado ele também lembra que existe outro produto que oferece um retorno atrativo, o COE (Certificado de Operações Estruturadas). “Esse produto permite que você tenha uma alocação em investimentos offshore sem exposição cambial e rentabilidade atrativa com uma proteção similar a ativos de renda fixa”, diz o assessor da Manhattan.

Com o COE é possível ganhar com cenários diferentes, dependendo da estrutura do produto escolhido. Um COE pode, por exemplo, ser estruturado para que o investidor ganhe com a alta do índice S&P e, caso o benchmark não tenha valorização ou registre perdas, ele recebe de volta o valor investido, sem nenhuma correção. “Neste caso é preciso avaliar o custo de oportunidade”, explica Frias.

“Este tipo de retorno alavancado é possível porque dentro de uma operação estruturada é feita o acréscimo de derivativos, tanto para a proteção de queda, quanto para alta - que muitas vezes podem ser superiores a 12 a 15% ao ano. Este tipo de investimento não tem FGC, e a garantia é do emissor, geralmente Bancos como Morgan Stanley, BNP e CSHG”, ressalta.

O assessor de investimentos conclui que uma uma carteira diversificada com bons produtos podem conseguir rendimentos bem superiores ao CDI atualmente e eventualmente bater 1% ao mês. Mas manter uma média de retorno neste nível não será nada fácil.

Onde conseguir aplicações com estes rendimentos

Na plataforma das corretoras de valores é possível encontrar uma variedade enorme de investimentos de todos os tipos, como produtos de renda fixa, fundos de investimentos e produtos mais sofisticados e difíceis de encontrar nos grandes bancos, como COE (Certificado de Operações Estruturadas), debêntures incentivadas (isentas de Imposto de Renda) e CRIs (Certificado de Recebíveis Imobiliários). 

Essas aplicações rendem mais do que os produtos que normalmente estão disponíveis para os clientes dos bancos e devem ser priorizadas pelos investidores que pretendem acumular dinheiro para ter um futuro mais tranquilo.

Invista nos produtos financeiros mais rentáveis com a melhor corretora do Brasil: abra uma conta gratuita na XP!

 

Contato