Criptomoedas

Ray Dalio diz que prefere investir em Bitcoin em vez de títulos públicos

Para o fundador da Bridgewater Associates, “maior risco do Bitcoin é o seu sucesso”

Por  Bloomberg -

(Bloomberg) – Ray Dalio, fundador da Bridgewater Associates, disse que prefere comprar Bitcoins do que títulos.

Se as criptomoedas continuarem a ganhar força, investidores podem decidir investir nesses tokens digitais em vez de títulos públicos, disse Dalio em entrevista gravada e veiculada na segunda-feira na conferência Consenso 2021 da CoinDesk. Segundo ele, isso deve limitar a capacidade de os governos captarem fundos.

Dalio mostra pessimismo em relação aos títulos há algum tempo. Em março, disse que a estratégia de investir em títulos “se tornou estúpida”, porque esses ativos pagam menos do que a inflação.

Mesmo com essa visão, uma grande porcentagem dos US$ 151 bilhões que sua empresa administra está aplicada em títulos do Tesouro dos Estados Unidos e outros títulos públicos.

“Tenho um pouco de Bitcoin”, disse Dalio na entrevista, que foi gravada em 6 de maio, de acordo com a CoinDesk. O investidor não revelou a quantidade.

Leia também:
Bitcoin, ame ou odeie: confira como grandes gestores e analistas se posicionam em relação a investir em criptomoedas

Dalio também disse que “o maior risco do Bitcoin é o seu sucesso”.

O gestor de fundos de hedge chegou a chamar o Bitcoin de “invenção infernal” e achava um desafio atribuir um valor aos ativos digitais, já que investir em Bitcoin significa reconhecer a possibilidade de perder cerca de 80%.

Dalio disse em janeiro que estudava as criptomoedas como investimentos para novos fundos que ofereceriam proteção aos clientes contra a desvalorização de moedas fiduciárias.

A Bridgewater Associates enfrenta obstáculos para melhorar o desempenho de seu fundo macro. No ano passado, o fundo Pure Alpha II perdeu 12,6% e acumulava alta de 4% este ano até abril. No total, a Bridgewater administra US$ 73 bilhões em estratégias macro.

Aprenda a identificar os produtos financeiros para blindar seu patrimônio contra o “Risco Brasil”. Inscreva-se no curso gratuito.

Compartilhe