MERCADOS AO VIVO Ação da Hidrovias do Brasil (HBSA3) estreia na B3 em queda

Ação da Hidrovias do Brasil (HBSA3) estreia na B3 em queda

Renda fixa

Prêmios oferecidos pelos títulos do Tesouro Direto sobem nesta terça-feira

Mercados monitoraram avanço do coronavírus no mundo e tensão entre EUA e China; no Brasil, prévia do PIB tem alta de 1,31% em maio, abaixo do esperado

Brazilian money on a wallet. Brazilian economy concept.
(Brenda Beth/Getty Images)

SÃO PAULO – As taxas oferecidas pelos títulos públicos negociados via Tesouro Direto apresentavam alta na tarde desta terça-feira (14), com a volta das preocupações sobre o avanço do número de casos de coronavírus ao redor do mundo.

Ontem, o presidente da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, disse que muitos países estão “indo na direção errada”, explicando que o avanço dos casos de Covid-19 pode colocar a perder os ganhos em termos de controle da pandemia conquistados com o fechamento das economias.

Nos Estados Unidos, o governo do estado da Califórnia anunciou que voltará atrás em algumas medidas de relaxamento do isolamento social devido ao crescimento do número de contaminações.

“O aspecto realmente preocupante para o mercado é que o aumento das infecções nos EUA fará as pessoas se comportarem como em um “lockdown”, mesmo que (as economias) estejam se abrindo”, disse, à Bloomberg, Charles Diebel, chefe de renda fixa do Mediolanum International Funds.

Também pesou negativamente sobre os mercados nesta terça a tensão entre Estados Unidos e China. Além da guerra comercial e dos atritos causados pela nova lei de segurança de Hong Kong, os americanos passaram a criticar as reivindicações de Pequim em relação ao Mar do Sul, da China.

Entre os indicadores domésticos, a prévia do PIB, medida pelo Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br), subiu 1,31% em maio ante abril. O resultado veio bem mais fraco que a mediana das projeções dos economistas compilada pela Bloomberg, que apontava para um crescimento de 4,5% no período.

Mercado hoje

No Tesouro Direto, o título indexado à inflação com vencimento em 2026 pagava uma taxa anual de 2,32%, ante 2,29% ao ano na tarde de segunda-feira (13). Os papéis com prazos em 2035 e 2045, por sua vez, ofereciam um prêmio anual de 3,82%, ante 3,76% a.a. anteriormente.

Entre os papéis com retorno prefixado, o juro pago pego título com vencimento em 2026 tinha leve alta de 6,13% para 6,14% ao ano, enquanto o mesmo papel com vencimento em 2023 pagava uma taxa de 4,17% ao ano – a mesma apresentada pela manhã.

No câmbio, o dólar operava em queda, de 0,9%, ante o real, negociado a R$ 5,33 por volta das 16h.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta terça-feira (14):

Fonte: Tesouro Direto

O passo a passo para trabalhar no mercado financeiro foi revelado: assista nesta série gratuita do InfoMoney.