Em onde-investir / poupanca

Depósitos na caderneta de poupança vão diminuir ainda mais, prevê Anefac

Com base em dados divulgados pelo Banco Central, Associação prevê redução no volume de depositos na caderneta de poupanças

Investidor perde dinheiro
(Thinkstock)

SÃO PAULO - Com a economia passando por um período de retração, Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), prevê redução das aplicações na caderneta de poupança.

“Com a inflação e juros elevados, queda de renda, desemprego e a Selic elevada reduzindo a rentabilidade da poupança frente aos fundos de investimento, a tendência para os próximos meses é de que este movimento de redução no volume dos depósitos da poupança se acentue”, explica Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor executivo de estudos e pesquisas econômicas da ANEFAC.

Em maio de 2015 os Fundos de Renda Fixa apresentaram uma rentabilidade de 0,82%, contra retorno de 0,62% da Caderneta de Poupança. Em doze meses, os Fundos de Renda Fixa tiveram uma rentabilidade de 10,19% contra uma rentabilidade de 7,25% da Caderneta de Poupança, fazendo com que os investidores migrem suas aplicações.

Outro fator que contribui na redução de depósitos em cadernetas é a diminuição na renda das famílias brasileiras, que se veem com menos recursos para pouparem e enfrentando a necessidade de retirar recursos da poupança para honrarem com suas contas.

Em maio, os saques na caderneta superaram os depósitos em R$ 3,199 bilhões. Em abril, o resgate líquido na caderneta havia sido de R$ 5,851 bilhões e, em março, de R$ 11,438 bilhões

Com estes dados, a caderneta já registra uma retirada liquida de R$ 32,2 bilhões no acumulado do ano, o que faz com que o saldo atual tenha atingido o volume total de R$ 648,7 bilhões, contra R$ 662,7 bilhões em dezembro de 2014.

 

Contato