"momento difícil"

Planner espera queda de 82% no lucro de empresa, mas não recomenda venda

Os analistas da Planner afirmam que a ação está passando por um “momento difícil”

Por  Leonardo Pires Uller

SÃO PAULO – “Momento difícil, mas não venda a ação”, assim é intitulado o relatório da corretora Planner para os papéis da Randon (RAPT4). Após a revisão de projeções para a empresa, já considerando uma realidade bastante ruim para o mercado de implementos e de autopeças, os analistas recomendam manter as ações.

Você tem dúvidas sobre como organizar suas finanças? Quer investir melhor? Cadastre-se gratuitamente no Ganhe Mais e tenha acesso a uma rede de centenas de planejadores financeiros certificados e capacitados 

A expectativa do analista Luiz Francisco Caetano, que assina o relatório, é de queda de 82,6% no lucro líquido da empresa em 2015 em relação ao registrado em 2014. “Neste contexto difícil, a empresa está buscando reduzir custos e pode até vender ativos”, assinala a Planner.

O setor de atuação da Randon passa por problemas como a forte retração na economia, mudanças nas regras de financiamento realizadas pelo BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) e maior seletividade dos bancos na concessão de crédito. Tudo isso atrapalha a indústria automobilística e também os segmentos de implementos rodoviários e de caminhões.

“Vale lembrar que em 2014 as vendas de veículos e implementos representaram 50,6% da receita líquida consolidada da Randon (excetuando vagões este percentual cai para 41,6%), enquanto as autopeças participaram com 46,0%”, ressalta a equipe da Planner.

No entanto, nem todos os segmentos da empresa estão em má fase. “Neste momento de contração da economia e em especial da indústria automobilística, o único segmento da empresa que está crescendo é o de vagões ferroviários, onde o volume de entregas em 2015 deve aumentar 51,4%, depois de ter crescido 321,1% no ano passado”, ponderam os analistas.

Compartilhe