Em onde-investir / palavra-de-especialista

Especialista lista bons motivos para você abandonar de vez a poupança

Hoje, mais de 50% da população que investe no Brasil tem parte dos seus recursos na poupança, diz planejador financeiro

 Texto de Guilherme Kolberg, planejador financeiro pessoal com certificação CFP®(Certified Financial Planner), concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros. 

Basta abrir qualquer site, revista ou jornal sobre investimentos que temos lá artigos sobre a caderneta de poupança. No entanto, a irracionalidade financeira continua a prevalecer. Hoje, mais de 50% da população que investe no Brasil tem parte dos seus recursos na poupança. São mais de 3,5 milhões de pessoas com mais de 30 mil reais aplicados, sendo que mais de 10 mil tem acima de 1 milhão. Mas porque falamos em irracionalidade? Vamos aos fatos:

 Rentabilidade

Atualmente, a poupança é remunerada pelo que chamamos de “regra antiga”, onde o investidor recebe 0,5% a.m mais a chamada taxa referencial (TR). Aos níveis atuais de mercado, a rentabilidade anual da poupança fica em torno de 6,8%. Para efeitos de comparação, nosso índice oficial de inflação, o IPCA, se encontra hoje próximo a esses patamares também. Sendo assim, a primeira conclusão que podemos chegar, é que hoje quem está na poupança tem sérias dificuldades para conseguir proteger o seu patrimônio da inflação oficial do governo. Vale a ressalva que a inflação para classes de maior renda são normalmente maiores.

Agora, analisando alternativas de investimento, vamos nos concentrar nas mais comuns, que oferecem o mesmo tipo de garantia da poupança, que é a proteção do capital investido ao limite de 250 mil reais dada pelo Fundo Garantidor de Crédito. No quadro abaixo, temos uma comparação entre a poupança, a LCI e o CDB. Os títulos públicos, em especial a LFT, também podem ser uma excelente opção, mas aqui vamos nos concentrar nos 3 investimentos citados acima. Notem a importância de sempre considerar a inflação nos cálculos de rentabilidade.





CDI Hoje 10,80%
IPCA (IBGE) 6,51%
IR (365 dias) 17,50%

 


PoupançaCDB (90% CDI)LCI/LCA (90%)

Rentabilidade bruta 6,8% 9,72% 9,72%
Rentabilidade líquida IR 6,8% 8,02% 9,72%
Inflação 6,5% 6,5% 6,5%
Rentabilidade real líquida 0,3% 1,4% ¨3%
Liquidez Diária Diária 30 a 720 dias


Percebam que a lógica dos 3 é a mesma: o investidor empresta dinheiro para o banco e recebe uma remuneração em troca. O banco, por sua parte, paga a remuneração e depois empresta esse dinheiro a outras pessoas. No caso da poupança, LCI e LCA, e banco é obrigado a emprestar o dinheiro para fins determinados, enquanto os recursos aplicados em CDB podem ser emprestados para fins variados. Colocando-se no lugar do banco, onde você preferiria que seus clientes aplicassem seus recursos? Obviamente naquele onde você irá pagar menos.

Outro ponto importante, é que todo investimento é composto por 3 pilares básicos: rentabilidade, risco e liquidez. Normalmente as pessoas acreditam que para ter maior rentabilidade, é necessário ter maior risco, mas se esquecem que podemos trocar liquidez por rentabilidade, sem mexer necessariamente no risco. É exatamente o que acontece com a LCI e LCA. O investidor abre mão de uma liquidez diária para ter uma maior rentabilidade, mantendo a mesma segurança. Portanto, com um pouco de planejamento, você pode otimizar seus investimentos sem abrir mão do conservadorismo (o que é a justificativa de muitos para estarem na poupança).

Nessa análise para um prazo de investimento de 1 ano, a LCI e a LCA são as mais atrativas, no entanto, os bancos restringem esse tipo de investimentos a clientes de média e alta renda. Com um capital a partir de 20 mil, já é possível encontrar esse tipo de títulos via corretoras, enquanto nos bancos esse valor costuma ser por volta dos 50 mil. Mas e se quero deixar meu dinheiro em uma conta que eu possa usar quando quiser, qual é a melhor opção?

Péssimo investimento para seu capital de giro

Diferente dos outros tipos de investimento, os recursos que estão na poupança só serão rentabilizados nas datas de aniversário. Assim, quem aplica 20 mil no dia 10, só terá a sua rentabilidade no dia 10 do mês seguinte, antes disso, não há nenhum retorno. Prefira CDBs de liquidez diária e também fundos DI, que, mesmo com a cobrança de IR e também IOF (no primeiro mês), são melhores opções para quem vai resgatar os recursos dentro do mês. A poupança pode ser atrativa apenas nos casos onde o montante é muito pequeno e o investidor tem a certeza que vai conseguir aguardar até a sua caderneta fazer aniversário.

Para concluir, vou usar uma teoria totalmente simplista de um amigo meu sobre a poupança. Imaginem que hoje temos mais de 600 bilhões investidos na poupança. Esses 600 bilhões pagam anualmente de juros para os investidores em torno de 6,8% desse valor (conforme exemplo). Temos um total então de 40 bilhões pagos. Agora, se esses mesmos 600 bilhões estivessem aplicados em ativos como o CDB do nosso exemplo, pagariam 8,02%, líquidos de IR. Isso faz um total de 48 bilhões pagos. Anualmente, teríamos uma diferença de 8 bilhões a mais que entrariam diretamente na conta desses investidores. Hoje, nosso maior programa de distribuição de renda no país, o bolsa família, investe 25 bilhões por ano. Teríamos assim o primeiro programa de distribuição de renda do mercado financeiro, entregando mais recursos para todos aqueles que trabalham e poupam.

 

 O texto reflete as opiniões do autor. O Infomoney não se responsabiliza pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

 

Contato