Ouro e outras commodities despertam interesse e dúvidas; saiba como investir

A compra de ouro pode ser feita de duas maneiras diferentes. Uma delas é pela BM&F e a outra é pelo mercado de balcão

SÃO PAULO – Crise internacional, instabilidade na bolsa de valores e muitas incertezas em relação às economias internacionais. Neste cenário, o investimento em ativos “reais”, como ouro, acabam se tornando uma alternativa interessante para muitos investidores.

Além do metal precioso, as commodities de uma maneira geral também atraem a atenção dos investidores brasileiros. De acordo com enquete realizada recentemente pelo portal InfoMoney, 12% dos leitores se interessam e/ou têm dúvidas sobre ouro e outras commodities.

Como negociar ouro
A compra de ouro pode ser feita de duas maneiras diferentes. Uma delas é pela BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros) e a outra é pelo mercado de balcão, por meio de empresas autorizadas a operar com o metal.

Se optar por comprar pela bolsa, é necessário que o investidor tenha conta em uma corretora de valores e os contratos são negociados em lotes-padrão de 250 gramas de ouro ou fracionados, com lotes de 10g. No mercado balcão, por outro lado, o cliente pode investir em barras de 1g até 1kg.

O fato de ser um ativo aceito em todo o mundo e de ser “sólido” e “palpável” faz do ouro um investimento seguro em épocas turbulentas. “O ouro é um investimento para proteção ou especulação”, afirma o educador financeiro e fundador do Centro de Estudos e Formação de Patrimônio Calil & Calil, Mauro Calil.

Entretanto, o especialista ressalta que este é um investimento de renda variável e que oferece alto risco para o investidor. “Quem se interessa e quer aplicar em ouro precisa ler relatórios, entender sobre a demanda, saber qual é a tendência do preço”, diz.

Além disso, ele lembra que, por conta da crise internacional, o preço do ouro subiu muito e está um um patamar bastante elevado. “Comprar agora pode ser ainda mais arriscado. Não há como saber se vai subir mais ou não, mas o fato é que já houve uma alta muito forte”, diz.

Outras commodities
Já a negociação de outras commodities, como milho, soja, café e boi gordo, é feita por meio do mercado futuro, também na BM&F. Para operar, é necessário, em primeiro lugar, ter cadastro em uma corretora de valores autorizada. As transações dos contratos agrícolas podem ser feitas via home broker ou plataformas de negociação, acessíveis também ao pequeno investidor.

Entretanto, de acordo com especialistas, este mercado é caracterizado pela forte volatilidade e por grande quantidade de especuladores. Por este motivo, o investidor que quiser operar com commodities deve ter experiência e estar disposto a correr riscos. “O mercado futuro é muito mais arriscado do que o mercado à vista”, ressalta Calil.

PUBLICIDADE

Os valores dependem do contrato adquirido. Com R$ 1 mil, é possível operar day trade com Boi Gordo, Milho e Soja, por exemplo. Já para operar com posição, é preciso cerca de R$ 3 mil para adquirir um contrato destas commodities.

A facilidade de comprar e vender os contratos costuma depender do tipo de produto negociado. Segundo profisisonais da área, o mercado de café e boi gordo são mais líquidos, enquanto para quem opera com  soja e no milho a liquidez pode ser um problema, mesmo em lotes menores.

De acordo com eles, ao operar em mercados menos líquidos, ou para grandes lotes, uma alternativa interessante é utilizar a mesa da corretora.