Ouro deve seguir como ótima opção de investimento em 2011

Nos últimos anos, pela falta de ouro no mercado, o retorno tem sido acima de qualquer outra aplicação do mercado

SÃO PAULO – Depois de fechar 2010 na posição de melhor investimento do ano, o ouro promete seguir como uma ótima opção para os investidores ao longo de 2011.

De acordo com Mauri Cavalcante, operador de mercado da Ourominas, para o médio (2 anos) e longo (4 anos) prazo, o ouro continua a ser um ótimo investimento. “Com registro de que pode alcançar um excelente resultado ainda em 2011”, completa.

Segundo Cavalcante, nos últimos anos, a commodity tem sido um dos melhores investimentos, pois, pela falta de ouro no mercado, o retorno tem sido acima de qualquer outra aplicação do mercado. “Pelas previsões de vários analistas, em 2011, o grama deve atingir a cotação de mais ou menos R$ 100, ficando com alta de 25% até o final do ano, o que significa que será um ótimo período para quem investir em ouro”, afirma.

Como investir
Existem duas formas de comprar ouro: na BM&F ou no mercado de balcão. Na bolsa, o investidor precisa ter uma conta em uma corretora de valores e os contratos são negociados em lotes-padrão de 250 gramas de ouro ou fracionados, com lotes de 10g. No mercado balcão, por outro lado, o cliente pode investir em barras de 1g até 1kg.

Por adequar-se ao bolso do investidor, o ouro como investimento é indicado a qualquer perfil de risco, desde o mais conservador ao mais agressivo, sempre pensando no médio e longo prazo. “Sempre indicamos para os investidores que queiram investir acima de R$ 20 mil e para aqueles que querem presentear com brilho alguém que ama”, completa Cavalcante.

Vantagens e desvantagens
Por ser considerado uma reserva de valor e por ser aceito em todo mundo, o ouro é visto como um investimento seguro em épocas turbulentas. Além disso, como já disse o especialista da Ourominas, a escassez do metal, por conta dos problemas que a extração causa ao meio ambiente, faz com que o preço da commodity suba, pois a oferta é menor do que a procura.

Essa escassez, no entanto, pode ser vista também como uma desvantagem, pois o preço pode ser manipulável.

Independentemente de vantagens e desvantagens, é necessário que a pessoa conheça e entenda o mercado antes de aplicar.

Para Cavalcante, apesar de o ouro já ser visto como investimento, a falta de conhecimento ainda limita o crescimento deste mercado. “Comprar ouro é uma das coisas mais simples que existem, mas a maioria não sabe disso”, revela. “É tão simples como comprar um carro”, finaliza.

PUBLICIDADE