RADAR INFOMONEY Por que o mercado "gostou" do aumento na conta de luz? Assista ao programa desta terça

Por que o mercado "gostou" do aumento na conta de luz? Assista ao programa desta terça

Diz BofA

Otimistas com Brasil, gestores veem Ibovespa acima de 120 mil pontos em 2020

Pesquisa indica que metade dos gestores pretende aumentar posições em ações nos próximos meses; papéis de consumo discricionário são favoritos

ações índices fundos investimentos bolsa alta gráficos
(Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Mesmo após alta da ordem de 27% da Bolsa em 2019, investidores ainda enxergam espaço para uma valorização das ações brasileiras e têm grandes expectativas para o país em 2020. É o que mostra a última pesquisa de confiança “LatAm Fund Manager Survey”, elaborada pelo Bank of America com gestores de recursos.

De acordo com o levantamento, 80% dos participantes veem o Ibovespa superando os 120 mil pontos até dezembro do próximo ano, com 28% estimando que o benchmark encerre 2020 entre os 130 mil e 140 mil pontos. O patamar representaria uma alta de 16,2% em relação aos preços atuais.

Ainda segundo o BofA, alguns chegam a ver o principal índice de ações do Brasil entre os 110 mil e 120 mil pontos.

No Brasil, 84% dos entrevistados esperam que as ações se valorizem, em linha com os resultados dos últimos meses. Apesar disso, apenas 52% dos investidores dizem planejar aumentar a alocação nesses ativos no próximo semestre, ante 62% em novembro.

Entre as principais posições overweight (acima da média do mercado, equivalente à compra), estão as de consumo discricionário e financeiras. Na sequência, aparece o setor de utilities.

Com relação à Selic, a maioria dos participantes espera que a taxa básica de juros se mantenha nos níveis atuais, de 4,5% ao ano, mas a possibilidade de novos cortes não está descartada para o horizonte. Já as previsões para a cotação da moeda americana ficaram na faixa de R$ 3,80 a R$ 4,20 até dezembro de 2020.

O que sustenta o otimismo

De acordo com o levantamento do BofA, o otimismo dos entrevistados é sustentado pela aprovação da reforma tributária e por uma expectativa de valorização do real no próximo ano.

Na avaliação da instituição financeira, o sentimento deve se manter positivo à medida que o Brasil continue a mostrar sinais de recuperação da economia.

Dentre os entrevistados, 60% afirmam que o fator mais efetivo para uma retomada econômica é a volta do investimento do setor privado. A melhora do cenário externo aparece em segundo lugar, com cerca de 20%.

No ambiente externo, os principais riscos atribuídos para a América Latina em 2020 correspondem à guerra comercial entre China e Estados Unidos e a uma preocupação com o crescimento chinês, os mesmos vistos neste ano.

O levantamento, contudo, foi realizado antes do acordo comercial sino-americano, o que deve reforçar, segundo o BofA, um sentimento ainda mais positivo dos investidores para a região no próximo ano.

A pesquisa do Bank of America com foco na América Latina foi elaborada entre os dias 6 e 12 de dezembro e entrevistou 25 gestores, responsáveis pela administração de recursos no valor aproximado de US$ 72 bilhões.

Invista em ações com TAXA ZERO: abra uma conta gratuita na Clear