invista melhor

Os segredos para montar a melhor carteira de renda fixa e ganhar mais

Ter conta em uma plataforma aberta de investimentos e respeitar seu perfil de investidor são alguns dos conselhos para que você monte uma carteira rentável  

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Investir em renda fixa é quase uma unanimidade entre os brasileiros. Mesmo aqueles que têm um perfil mais arrojado costumam ter ao menos uma parte das suas aplicações nesta classe de investimentos.

Uma das explicações para esta preferência nacional é a nossa taxa de juros, que historicamente é muito alta e sempre figura entre as maiores do mundo.

Para especialistas, mesmo com a Selic em 6,5% ao ano – seu menor nível histórico – ainda há boas opções de investimento. Mas para conseguir retornos satisfatórios é preciso um pouco mais de disciplina e atenção na hora de investir.

PUBLICIDADE

Para montar uma carteira de renda fixa diversificada e rentável é importante seguir alguns passos. Veja a seguir:

Ter conta em uma plataforma aberta de investimentos

Ter conta em uma corretora que ofereça plataforma aberta de investimentos é bem importante para quem quer montar uma boa carteira de renda fixa – é o caso da XP Investimentos, que ainda oferece taxa zero para abertura e manutenção de conta

Por distribuírem dezenas de emissores diferentes, essas plataformas oferecem uma diversidade muito maior de produtos e que pagam um rendimento maior do que aquele que normalmente são oferecidos pelos grandes bancos – que só distribuem seus próprios produtos.

“Assim o investidor consegue comparar quais aplicações fazem mais sentido para ele”, diz Lucas Paulino, assessor de investimentos da plataforma Mais Retorno.

Respeitar seu perfil de investidor

PUBLICIDADE

Ter consciência do próprio perfil de risco e respeitá-lo na hora de aplicar é fundamental, mesmo quando se trata apenas investimentos de renda fixa. Algumas aplicações desta classe de ativos são bastante voláteis têm regras específicas – caso dos títulos de inflação com prazo muito longo, por exemplo.

Se o investidor vender um título desse antes do seu vencimento, pode amargar fortes prejuízos. Então antes de começar a investir faça o teste de suitability da sua corretora e siga as orientações em relação aos ativos indicados para você.

“Quando você começa a investir é natural que tenha medo. Por isso o ideal é começar por investimentos conservadores e ir aumentando a exposição a produtos mais arriscados aos poucos”, aconselha Paulino.

Sempre montar uma reserva de emergência

Ter uma reserva de emergência em ativos líquidos (que podem ser resgatados a qualquer momento, sem nenhuma penalização) é fundamental para qualquer investidor. Isso garante que em caso de emergência você possa utilizar esses recursos sem precisar mexer em outros ativos mais rentáveis e que possuem carência de resgate.

“É a primeira coisa que a pessoa deve fazer para ter saúde financeira. Serve para emergências e até para oportunidades que possam surgir”, explica Paulino.

Estes ativos devem estar investidos em aplicações pós-fixadas, que são mais seguros e menos voláteis. “A liquidez deve ser no mesmo dia ou no dia seguinte, em produtos como fundos DI, CDB, Tesouro Selic”, diz Paulino.

Diversificar os vencimentos e carências dos títulos

Diversificar vencimentos e prazos de carência dos títulos é outra maneira de ter um portfólio mais completo e equilibrado, que permita acesso ao dinheiro mais rapidamente quando for necessário.

Imagine que todos seus investimentos tenham vencimento acima de 5 anos e você encontra um ótimo negócio imobiliário, mas precisa do dinheiro em menos tempo. Se sua carteira tivesse produtos com vários vencimentos, você poderia usar o dinheiro mais rapidamente e evitaria perder outras oportunidades.

“O vencimento e a carência são pontos muito importante. Muitas vezes os investidores esquecem de olhar para isso”, alerta o assessor.

Diversificar os produtos e os emissores

Renda fixa é o nome de uma classe de investimentos que possui diversos produtos, com características diferentes uns dos outros. Então ter um portfólio com diferentes aplicações, de emissores variados, vai garantir que você tenha mais segurança e até uma rentabilidade maior.

Entre as aplicações disponíveis estão os CDBs (Certificados de Depósito Bancário), LCI (Letra de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), debêntures e debêntures incentivadas (isentas de IR), LC (Letra de Câmbio), CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários), além dos títulos públicos negociados pelo programa Tesouro Direto – Tesouro IPCA +, Tesouro Prefixado e o Tesouro Selic.

Todos os produtos financeiros citados acima estão disponíveis na plataforma da XP Investimentos, muitos deles com taxa zero. Abra sua conta – é de graça!

Já a diversificação por emissor é importante para que você não concentre o seu risco de crédito. Se um banco que você investe tiver problemas, por exemplo, você tem menos dor de cabeça se seus investimentos não estiverem concentrados.