Comprar, manter ou vender

O que fazer com “campeãs” do Ibovespa em 2015? Especialista responde

Papéis chegam a marcar alta de mais de 50% no ano

SÃO PAULO – O Ibovespa, principal índice da bolsa, marca alta de 6,46% até o fechamento do dia 14 de julho de 2015. No entanto, algumas das ações que compõem o índice registram alta muito mais significativa do que isso no mesmo período, chegando a mais de 50%. No entanto, quais das “campeãs” do Ibovespa vale a pena manter em carteira e quais a melhor recomendação é embolsar o lucro logo? O InfoMoney conversou com o economista João Pedro Brugger, da Leme Investimentos, que comentou algumas das principais altas do Ibovespa no ano até agora.

Você tem dúvidas sobre como organizar suas finanças? Quer investir melhor? Cadastre-se gratuitamente no Ganhe Mais e tenha acesso a uma rede de centenas de planejadores financeiros certificados e capacitados 

1 – Lojas Renner (LREN3)
A Lojas Renner é a grande campeã do Ibovespa em 2015 até agora, com alta de impressionantes 51,16%. O analista elogia bastante a varejista de roupas: “ela vem entregando resultados acima da média e consistentes, mesmo em um cenário de desaceleração da economia”, relata.

Para ele, apesar de ela poder enfrentar alguma dificuldade no curto prazo, continua sendo uma empresa muito boa e bastante competitiva. Brugger recomenda manter a ação, apesar de considerar que é possível entrar na ação nesse momento também, mesmo com a alta.

2 – Petrobras (PETR3)
A Petrobras está envolvida diretamente há vários meses nos desdobramentos da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, o que fez com que ela passasse por forte desvalorização no final do ano passado. No entanto, após mudança em sua diretoria e contabilização de perdas bilionárias por conta da corrupção e má gestão, a empresa teve forte alta na bolsa e está, até agora, com alta de 40,88%.

A recomendação do economista da Leme Investimentos, mais uma vez, é de manutenção. De acordo com Brugger, quem tem um horizonte de investimento de médio e longo prazo para a empresa e acredita que serão implementadas mudanças estruturais na empresa pode esperar para comprar depois, quando as mudanças praticadas estiverem mais claras.

3 – Klabin (KLBN11) e Suzano (SUZB5)
Ambas as empresas são grandes produtoras e exportadoras de papel e celulose e marcaram fortes altas na bolsa no ano até agora: a Klabin subiu 37,06% e a Suzano 34,84%. Essas altas estão muito ligadas com a alta do preço das commodities exportadas pelas empresas e suas receitas atreladas ao dólar, que também sobe forte em 2015.

Brugger destaca que, pelo que vê da aceleração da economia global, esse pode ser um momento de realizar os lucros e vender os papéis. “Se for ver pela exposição ao dólar das empresas, existem papéis melhores para se posicionar, como a Embraer, por exemplo”, recomenda.

4 – JBS (JBSS3)
A empresa que atua no setor de carnes e alimentação fez duas grandes aquisições em 2015, como a unidade de carne suína da Cargill nos EUA e a divisão de carne de frango da Marfrig na Europa, segue com baixo endividamento e marca alta de 42,61% no ano, sendo a segunda maior alta do Ibovespa no período.

PUBLICIDADE

A recomendação de Brugger para o papel também é de manutenção. Ele destaca como pontos positivos barreiras internacionais à carne brasileira que caíram, mas afirma que o papel ainda está muito ligada ao consumo no Brasil e nos EUA, o que faz com que ainda fique receoso em recomendar a ação.

Você está investindo bem seu dinheiro? Faça o teste aqui