Podcast Outliers

O que 30 anos de crise ensinaram ao gestor da Garde – e por que ele investiu mais em Bolsa

Carlos Calabresi contou sua trajetória, as lições que aprendeu e seus investimentos atuais no último episódio do podcast Outliers

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Com mais de 30 anos de experiência no mercado financeiro, Carlos Calabresi passou boa parte desse período trabalhando em bancos franceses, onde adquiriu o conhecimento que hoje é aplicado na Garde Asset, gestora em que ele é CIO, sócio e fundador.

Calabresi ressalta que já enfrentou pelo menos sete crises durante essas três décadas no mercado financeiro. De todas elas, duas foram as mais marcantes, como contou no mais recente episódio do podcast Outliers, apresentado por Samuel Ponsoni, analista de fundos da XP.

Aprenda a investir na bolsa

A primeira foi a crise na Ásia, em 1997 que, segundo ele, tornou visível o impacto da globalização chegando ao Brasil. “Até então o Brasil era bastante fechado. (Havia) os gringos querendo operar Brasil e a Bolsa fechava na hora do almoço, os caras ficavam malucos”, conta o gestor.

Na época, o câmbio brasileiro era fixo, o que levou a uma forte especulação cambial no país. Gustavo Franco, então presidente do Banco Central, elevou a taxa de juros de 22% para mais de 40% para defender a moeda.

Calabresi conta que foi um momento bastante difícil e que muitas perdas ocorreram. Nessa época, ele trabalhava no banco francês CCF. “Para mim, foi muito doloroso.”

Outro momento bastante complicado, mas durante o qual Calabresi conseguiu um saldo positivo, foi a crise de 2008, época em que ele trabalhava no BNP Paribas.

“Operamos essa crise na ponta certa e ganhamos muito dinheiro. E foi com o câmbio. Acho que [o dólar] estava R$ 1,60 ou R$ 1,70 e chegou a ficar acima de R$ 2,60, a gente conseguiu acertar este movimento”, lembra ele. Segundo o gestor, este foi um dos melhores anos em termos de retorno para ele.

Mas Calabresi ressalta que “nem tudo foram rosas”. “Houve problemas com aquelas empresas que estavam cheias de derivativos”, explica, lembrando do caso da Aracruz, companhia que teve um prejuízo bilionário com operações cambiais e em que o banco tinha uma exposição grande. “Isso deu muita dor de cabeça”.

PUBLICIDADE

Outra situação destacada pelo gestor foi o lançamento do Plano Real, em 1994, quando ele estava no CCF. “A gente chegou à conclusão de que o dólar iria cair, fez uma posição grande e o real realmente se apreciou. Naquele ano, o CCF Brasil fez 20% do resultado do CCF no mundo”, afirma.

E todos esses casos trouxeram experiência. “Eu não acho que, se o fundo teve um mês ruim, seja motivo para [o investidor resgatar]”, disse ele, respondendo à pergunta de um ouvinte.

“Aliás, eu acho que esse é um movimento errado, porque ganhar e perder faz parte, acho que você sempre tem que olhar quem consegue ganhar mais do que perder ou consegue recuperar quando tem um período ruim”, afirmou. “Só olhar para resultado, principalmente resultado de curto prazo, como razão para resgatar, eu acho errado.”

Cenário atual

Sobre a forma como a gestora está posicionada neste momento, Calabresi diz que suas exposições são divididas entre juros, Bolsa e câmbio, sendo que, entre Brasil e exterior, neste momento, o mercado nacional tem um peso maior.

Ele afirma ainda que o “mix” dos investimentos tem mudado um pouco, mas o fato de ter maior contato com pessoas no Brasil faz com que a preferência fique aqui. Apesar disso, o gestor ressalta que o exterior tem grande peso nos negócios domésticos, por isso é importante ficar de olho.

No que diz respeito à curva de juros, ele tem evitado uma exposição na curva longa diante do cenário de necessidade de financiamento do governo e atuação do Tesouro, o que deixa a curva muito volátil.

Já no câmbio, Calabresi conta que a Garde reduziu sua posição, mas que o viés é de compra de dólar (ou seja, de que a moeda americana ainda pode subir). Ele lembra que, em momentos de maior estresse do mercado, o câmbio ajuda na proteção.

Por fim, em Bolsa, especialmente no Brasil, a gestora tem se posicionado mais porque vê o mercado ficando para trás nos últimos meses, sem um motivo que realmente justifique isso.

PUBLICIDADE

É possível conferir o episódio completo e os anteriores do Outliers por SpotifyDeezerSpreakerApple e demais agregadores de podcast.

Profissão Broker: como fazer carreira na elite da bolsa da valores, mesmo saindo do zero.