Número de reclamações na BM&FBovespa recua 6,3% em 2011

De acordo com dados do Ombudsman da Bolsa, foram recebidas 689 reclamações no ano passado

Por  Diego Lazzaris Borges

SÃO PAULO – O número de reclamações na Bolsa de Valores de São Paulo recuou em proporção parecida com a diminuição do número de investidores cadastrados na Bovespa em 2011.

De acordo com dados do Ombudsman da BM&FBovespa divulgados nesta sexta-feira (3), foram recebidas 689 reclamações no ano passado, número 6,3% inferior ao registrado em 2010 (735 reclamações) e o menor patamar de reclamações ao Ombudsman desde 2006. No ano passado, o número de investidores cadastrados na Bolsa paulista recuou 4,5%, para para 583.202 CPFs.

A maior parte das reclamações veio de investidores pessoa física ou clientes de corretoras. As corretoras lideraram o ranking das instituições com o maior número de reclamações, com 72% da demanda total. Os demais instituições foram os Bancos (18%), a Bolsa (8%) e as Empresas (2%).

Motivos de reclamação
Segundo a bolsa, os três grupos de reclamação mais expressivos foram as ordens de negociação (38%), dificuldades na transferência de custódia (13%) e problemas diversos com os canais eletrônicos de negociação e Home Broker (12%). “O resultado obedeceu a um padrão verificado na década”, disse a Bolsa.

Compartilhe