Em onde-investir

Como comprar ações do Spotify; passo a passo para investir

Serviço de streaming de música coleciona milhões de usuários. Após estreia não convencional na bolsa, investidores se perguntam como comprar ações do Spotify

Spotify
(Shutterstock)

Nascido na capital sueca, Estocolmo, bem longe do Vale do Silício, o Spotify se tornou uma das empresas de tecnologia mais conhecidas. Serviço de streaming de música por assinatura, ganhou centenas de milhões de adeptos no mundo. Com pouco mais de dez anos de história, sua chegada à bolsa de valores desafiou padrões - e por isso investidores ainda se perguntam se devem (ou não) comprar ações do Spotify. 

O que considerar antes de comprar 

Desde que estreou no mercado de ações, o valor de mercado do Spotify oscilou dentro de uma faixa específica. Avaliada atualmente em cerca de US$ 28 bilhões, a empresa apresentou o desempenho em bolsa demonstrado no gráfico abaixo:

Por conta das particularidades do seu mercado de atuação e das características próprias do setor de tecnologia, investir nas ações do Spotify exige estudo. Alguns aspectos em especial devem ser considerados, dos quais os três abaixo se destacam:

O número de usuários importa mais do que o lucro

A cada trimestre, os resultados financeiros do Spotify melhoram um pouco mais. O quarto trimestre de 2018, por exemplo, foi o primeiro na história da empresa em que o lucro operacional, o lucro líquido e o fluxo de caixa livre foram todos positivos.

No entanto, mais do que os resultados financeiros, os analistas e investidores estão de olho em outras métricas no caso de empresas como Spotify e Netflix, do segmento de streaming de vídeos. O número considerado mais importante é o de usuários. Isso porque, em um segmento em expansão, uma base sólida de assinantes é considerada um ativo importante.

Para se ter uma ideia do peso desse indicador, basta olhar para o que aconteceu com as ações do Spotify após a divulgação do balanço do segundo semestre de 2019. No geral, os números vieram acima do esperado pelo mercado - à exceção do número de assinantes com contas premium.

A base de usuários com contas pagas aumentou 30% em relação ao ano anterior, alcançando 108 milhões. Os analistas, no entanto, acreditavam que o número chegaria a 108,5 milhões. Por causa dessa diferença, aparentemente pequena, as ações da empresa recuaram cerca de 5% durante o pregão do dia da divulgação do balanço.

Isso aconteceu mesmo com o número total de usuários da plataforma crescendo. Incluindo os que utilizam a versão gratuita do Spotify, bancada por anúncios de empresas, os usuários ativos passaram de 232 milhões, um aumento de 29%.

Mais de um ano depois, as ações do Spotify valem o mesmo

O Spotify estreou na Bolsa de Nova York (Nyse) em abril de 2018. Não foi uma oferta inicial de ações - ou um IPO - convencional. Foi o que se costuma chamar de “listagem direta”. Nesse caso, os bancos de investimento foram dispensados do processo, permitindo que os acionistas já existentes vendessem de imediato suas ações, sem intermediários.

Mesmo sendo, até então, uma companhia fechada, o Spotify tinha vários acionistas - incluindo seus funcionários entre eles. O que a listagem em bolsa garantiu foi exatamente a chance dessas pessoas transformarem seus papéis em dinheiro de fato. Com o processo, mais do que captar recursos, o que a empresa quis foi dar liquidez aos investidores.

No dia da estreia, as ações abriram o pregão cotadas a US$ 165,90, um valor acima do preço de referência estabelecido pela Nyse, de US$ 132. Depois, terminaram a sessão aos US$ 149,60, dando à empresa um valor de mercado de US$ 26,6 bilhões.

De lá para cá, os papéis passaram por altos e baixos, mas não saíram muito do lugar. Em meados de agosto de 2019, as ações do Spotify estavam cotadas a cerca de US$ 148.

A competição no segmento é real

Embora esteja entre os maiores, o Spotify não é o único serviço de streaming de música no mundo. Seu rival mais conhecido é o Apple Music, mas a pressão também vem de outros, como Amazon Music, Google Play Music, YouTube e Pandora.

Um detalhe: alguns dos concorrentes fazem parte dos maiores conglomerados de tecnologia do mundo. Isso significa que, se decidirem entrar de cabeça no segmento, essas empresas possuem caixa para investir pesadamente.

Para o Spotify, a competição pode forçá-lo a, eventualmente, rever os preços das assinaturas pagas do serviço ou até a oferecer condições mais vantajosas com estúdios, artistas e produtores de podcasts.

Passo a passo para investir no Spotify

Ficou interessado nas ações do Spotify? Para investir nelas, os investidores brasileiros podem operar diretamente na Nyse. Ao contrário de outras empresas globais de tecnologia, a companhia não tem BDRs - ou Brazilian Depositary Receipts - listados na B3. Siga os passos abaixo para comprar os papéis:

1. Avalie seu perfil e objetivos 

Antes de partir para os procedimentos técnicos, avalie seus objetivos para comprar ações do Spotify - ou de qualquer outra empresa. Faz sentido optar pelos papéis de uma companhia de fora quando você quer apostar em um negócio que não tem semelhantes no mercado em que já esteja habituado a operar. Talvez esse seja seu interesse no Spotify.

Avalie qual das diferentes estratégias de investimento faz mais sentido diante dos seus objetivos. Sua intenção é comprar ações do Spotify pensando nos ganhos de curto prazo? Se sim, escolha o melhor momento para fazer isso. Uma boa hora é quando as cotações recuam de maneira repentina, em resposta a um evento pontual, por exemplo.

Talvez sua expectativa seja outra: comprar ações do Spotify pensando em um horizonte de longo prazo. Isso faz sentido para quem tem a motivação de se tornar sócio da empresa, ganhando dinheiro conforme ela cresce e lucra.

2. Aprenda sobre o negócio

Buscar informações sobre as perspectivas de performance do Spotify é essencial para investir com mais segurança. Você pode encontrar análises desse tipo nos relatórios elaborados periodicamente por corretoras e casas de análise.

Em geral, os analistas avaliam o perfil e os resultados financeiros das empresas quando estão preparando relatórios. Eles costumam emitir uma opinião sobre os papéis: se acham que é hora de comprá-los ou de vendê-los. Em agosto de 2019, 19 dos 27 analistas que acompanham o Spotify sugeriam a compra das ações da empresa.

Outros cinco analistas indicavam que era melhor “manter” os papéis. Em linhas gerais, para quem não tem as ações na carteira, é um sinal para evitar comprá-las no momento. Três analistas recomendavam a venda, segundo dados da Reuters.

3. Cadastre-se em uma corretora internacional

Para comprar ações do Spotify na Nyse, é necessário abrir uma conta em uma instituição financeira internacional. O investidor precisará solicitar o procedimento na casa de sua preferência e enviar documentos e outras comprovações para lá.

Com uma conta aberta, também será preciso mandar dinheiro para ela, para que as compras possam ser efetuadas. Isso depende de uma transferência internacional, realizada por meio dos serviços de um banco ou corretora de câmbio autorizada pelo Banco Central.

As remessas internacionais são tributadas pelo Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), a uma alíquota de 0,38%. A transferência normalmente também envolve o pagamento de tarifas à instituição financeira. Para a operação de fechamento do câmbio, a referência costuma ser a cotação do dólar comercial, mais um valor adicional.

Depois que o dinheiro cair na conta, é só começar a operar. O pagamento de Imposto de Renda mensal é feito no Brasil, com um Darf (documento de arrecadação de receitas federais). A alíquota é de 15% sobre o ganho para volumes de até US$ 1 milhão, para quem aplica como pessoa física nos Estados Unidos. Mas a taxação chega a 30% em valores acima de US$ 20 milhões. A variação cambial é considerada, já que a apuração dos ganhos é finalizada em reais.

Leia Mais: baixe este e-book gratuito e aprenda a investir nos Estados Unidos

 

Contato