Em onde-investir

Participação do pequeno investidor no Tesouro Direto recua em agosto

O levantamento mostra que, no mês passado, o percentual mais alto foi o das aplicações de até R$ 1 mil, com 26,7%

bandeira do Brasil - PIB
(Getty Images)

SÃO PAULO - A participação dos pequenos investidores no Tesouro Direto - aqueles que aplicam até R$ 5 mil – caiu de 66,1% em julho para 58,8% no mês de agosto. O levantamento, divulgado pelo Tesouro Nacional nesta sexta-feira (14), mostra ainda que, no mês passado, o percentual mais alto foi o das aplicações de até R$ 1 mil, com 26,7%. Em seguida, aparecem as aplicações de R$ 10 mil a R$ 50 mil, que somaram 20,5%.

Na faixa de R$ 5 mil a R$ 10 mil, a participação chegou a 14%, enquanto na faixa de R$ 1 mil a R$ 2 mil atingiu 13,4%. As aplicações de R$ 2 mil a R$ 3 mil representaram 8,5% do total. Por fim, ficaram as aplicações de R$ 3 mil a R$ 4 mil (5,4%) e as de R$ 4 mil a R$ 5 mil (4,8%).

Já as aplicações de maior valor, como as de R$ 50 mil a R$ 100 mil e de R$ 100 mil a R$ 400 mil, representaram 3,9% e 2,8%, respectivamente.

O que é
O Tesouro Direto é um programa que possibilita a aquisição de títulos públicos por pessoas físicas pela internet. Foi lançado para democratizar o acesso aos investimentos em títulos federais, incentivar a formação de poupança de longo prazo e facilitar o acesso às informações sobre a administração e a estrutura da dívida pública federal brasileira.

O programa disponibiliza a compra e venda dos títulos pela internet. Para isso, é necessário ser cadastrado em uma corretora de valores e pedir autorização da instituição para operar com esses títulos.

 

Contato