Em onde-investir

Com mês negativo para a bolsa, fundos de renda fixa se destacam em maio

Categoria "Renda Fixa Índice" teve alta de 1,76%, a melhor rentabilidade do mês, mostra o boletim da Anbima

Fundos_ações_dinheiro

SÃO PAULO - Os fundos Renda Fixa Índices tiveram em maio o maior retorno da indústria pelo segundo mês seguido entre os tipos de fundos com patrimônio líquido representativo, de 1,76%, mostra o boletim mensal de fundos da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), divulgado nesta sexta-feira (8).

Dessa forma, a categoria também se destaca na rentabilidade acumulada no ano (+10,53%) e em 12 meses (+21,1%).

Esta modalidade de fundo, com R$ 108 bilhões de PL distribuídos em 280 fundos, lidera a captação líquida da indústria no ano, com R$ 17,4 bilhões. Segundo a classificação da Anbima, de acordo com a própria Anbima, os fundos Renda Fixa Índices buscam seguir ou superar os indicadores de desempenho utilizados no mercado de renda fixa.

Cambial e ações
Ainda conforme o boletim, a valorização do dólar fez com que a categoria cambial, com alta de 5,99%, alcançasse a maior rentabilidade da indústria no mês. Por outro lado, os fundos de ações foram duramente penalizados pelo mês de maio negativo da bolsa brasileira.

“O aumento da incerteza contribuiu para o recuo de 11,86% do Ibovespa em maio, a maior queda mensal desde outubro de 2008, levando todos os tipos da categoria Ações a apresentar desempenho negativo”, destacou o documento. Neste sentido, os fundos Ações Ibovespa Ativo marcaram a maior queda em maio, 9,16%, enquanto que o Ações Dividendos registrou o desempenho melhor, ainda que negativo, de 5,86%.

Resgates e captação
Em maio, o resgate líquido foi de R$ 4,2 bilhões influenciado pelo recolhimento semestral do Imposto de Renda, o come cotas, de aproximadamente R$ 4 bilhões. Também pesaram nesse desempenho, o resgate líquido nas categorias Referenciado DI e Multimercados, neste caso concentrado em fundos do segmento Corporate.

Já a categoria Previdência registrou a maior captação líquida da indústria no mês, R$ 3,9 bilhões, seguida de perto pela categoria Renda Fixa, com R$ 3,8 bilhões, liderada pelo tipo Renda Fixa Índices.

“Mesmo com o regaste líquido do mês, a captação líquida acumulada no ano até maio, de R$ 67,8 bilhões, permanece como a maior da série histórica. Esse desempenho foi liderado pelos segmentos Poder Público e Corporate que até abril apresentaram crescimento patrimonial de 30% e 14,3%, respectivamente”, concluiu a Anbima.

 

Contato