Conteúdo editorial apoiado por

Morar fora em 2024: veja países baratos, como investir e mais para fazer real durar no exterior

Se manter no exterior não é tarefa fácil, ainda mais para quem recebe em reais – mas há algumas formas de driblar as perdas do câmbio

Monique Lima

Publicidade

Ter renda no Brasil e morar em outro país é uma realidade possível atualmente graças ao trabalho remoto. Há quem opte por uma vida itinerante de nômade digital, mas há também aqueles que preferem fixar residência definitiva em outro continente. Em ambos os casos, uma questão relevante é: como planejar essa mudança e garantir que um salário em reais seja suficiente no exterior?

O escritor Matheus de Souza, 34 anos, viveu seis anos como nômade digital, até decidir fincar raízes em Paris em 2023. Desde 2017, quando começou sua vida de viajante, até a atualidade, Souza trabalha em grande parte com contratantes brasileiros e é remunerado em reais.

“É desafiador. De diferentes formas, os custos de um nômade podem ser bem menores do que o de um imigrante. A escolha dos locais é crucial para entender e planejar o custo de vida. Tudo parte daí, do custo de vida”, diz Souza.

Há seis anos, quando iniciou sua jornada, o escritor ganhava um salário de R$ 4.500 como freelancer. Na conversão daquele ano, este valor mensal representava US$ 1.357,50. Atualmente, seria algo em torno de US$ 909,53. Souza acredita que não conseguiria viver como nômade hoje ganhando o mesmo valor daquela época.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

Preço dos vistos

Em 2023, mais de 50 países criaram vistos para nômades digitais, com critérios próprios para esses trabalhadores itinerantes. A maioria das autorizações são de países da Europa, América Latina e Caribe. De modo geral, esses vistos possuem duração de um ano e tem uma taxa média de US$ 500, apontam dados da agência D4U Immigration.

Entretanto, para conseguir a autorização é necessário comprovar renda. A média exigida pelos vistos de nômades é de US$ 3.000 mensais. Atualmente, este valor equivale a cerca de R$ 14.840.

Souza afirma que por muitos anos viajou entre os países apenas com o passaporte e autorização para turistas, já que a maior parte desses vistos de nômades surgiram depois de 2020. Os turistas não precisam comprovar renda e podem permanecer em um local por até 90 dias. De modo geral, as taxas são menores do que US$ 100 para a Europa e o sudeste asiático.

Quem vai imigrar passa por mais burocracias e mais taxas. Cada país tem critérios próprios que precisam ser verificados individualmente. Países como Austrália, Canadá e EUA não tem vistos para nômades digitais, mas têm autorizações para trabalho e programas de imigração altamente estruturados, por exemplo.

Leia também:

Custo de vida

Existem alguns sites que ajudam a entender os diferentes custos de vida entre cidades e países. Dois exemplos são o Nomad list e o Numbeo. O primeira estima o custo de vida em uma cidade pelo período de um mês, em dólar. Além disso, os usuários avaliam outros tópicos como qualidade de vida, segurança, recepção da comunidade, clima e internet.

Segundo o Nomad list, é possível passar um mês em Penang, na Malásia, com US$ 973 (R$ 4.813,5). Em dezembro de 2023, o local mais popular da plataforma era Bangkok, na Tailândia, com um custo de vida mensal de US$ 1.443 (R$ 7.138,5). De modo geral, o leste europeu e o sudeste asiático são os locais com custos mais acessíveis e com menos perdas em relação ao real.

Já o Numbeo descreve com mais detalhes o custo de vida de cada localidade, como refeição em restaurante, e preços da água, leite, carne, gasolina e habitação, e cria um ranking com valores convertidos em reais. Veja a seguir alguns exemplos de valores necessários para viver em algumas cidades.

Produtos/ Serviços São Paulo (R$ ) Buenos Aires (R$ ) Nova York (R$ ) Lisboa (R$) Paris (R$) 
Refeição individual (restaurante simples)  37,50 33,49 123,90 69,41 81,08
Combo McDonald’s  38,00 25,39 59,47 45,92 58,74
Leite (1 litro) 5,51 4,05 6,94 5,09 7,42
Arroz (1 quilo) 6,68 4,40 34,91 7,64 11,26
Bife de carne (1 quilo)  45,32 27,61 99,61 64,13 122,76
Água (1,5 litros) 3,95 3,93 11,95 4,04 4,43
Cerveja local (500 ml) 7,91 5,07 11,91 6,38 11,46
Transporte público  4,40 0,74 14,37 10,68 11,21
Gasolina (1 litro) 5,27 4,42 5,33 9,86 10,46
Apto – 1 quarto no centro (aluguel mensal) 2.679 2.151 20.178 6.589 7.185

Fonte: Numbeo. Cotações em reais. Data-base: 12/12/2023. 

O checklist mensal de um nômade envolve passagem, hospedagem, seguro-viagem, alimentação (cozinhar ou restaurante), internet, telefonia. Já para quem vai fixar residência, os custos são basicamente os mesmos de viver no Brasil: aluguel fixo, contas domésticas (internet, energia, água, gás), alimentação e telefonia.

Wagner Pontes, CEO da D4U Immigration, também pondera sobre outros pontos importantes como idioma, assimilação cultural, clima, educação e saúde pública.

Conversão do dinheiro

As opções mais populares entre os nômades e os imigrantes que recebem salário no Brasil são as contas da Wise e do Remessa Online. A Wise tem uma variedade grande de moedas disponíveis para conversão. Isso é uma vantagem em relação a outras contas internacionais que atuam no Brasil, mas só trabalham com dólares.

Pela Wise, o envio de reais para outras moedas tem um custo médio de 2% do valor enviado, já incluído o IOF, que é de 0,38% para transferências entre titulares diferentes e 1,1% para contas da mesma titularidade.

No site é possível similar o envio de remessas para entender a aplicação das taxas. Um envio de R$ 5.000 para converter em euros seria taxado em R$ 98,61, já com o IOF de 0,38% incluso. O valor final convertido seria de R$ 4.901,39.

A Remessa Online tem menos opções de moedas para conversão, mas também oferece custos facilitados. A taxa de serviço é fixa em 1,2% do valor enviado, além do IOF. Na mesma conversão de R$ 5.000 para euros, a taxa da empresa com o mesmo IOF de 0,38% seria de R$ 59,24. O valor final da conversão seria de R$ 4.921.

Em ambos os casos, o prazo para o dinheiro ser creditado varia da moeda e do horário da transação. Em geral, é de pelo menos um dia útil.

Leia também: 

Aplicações financeiras

Antes de iniciar sua vida itinerante, Souza juntou uma reserva financeira equivalente a quatro salários mensais. “Era um dinheiro para ficar aplicado e guardado para o caso de emergências. Não era o dinheiro de fluxo do dia a dia”, conta.

Existem opções de “contas rendeiras” que pagam juros no dinheiro aplicado em dólares ou euros. Com as taxas atuais dos EUA e da Europa na faixa dos 5%, é possível receber uma remuneração entre 4,5% e 5% em contas como as “saving accounts“, que são como as contas poupança do Brasil, ou as “money market“, que são como fundos que investem em dívida de curto prazo e alta liquidez.

Uma reserva dessa é particularmente interessante para quem vai imigrar, visto que a maior parte dos aluguéis na Europa exigem um depósito caução de três meses para liberar a locação do imóvel. Entretanto, é necessário abrir conta em bancos locais. As contas internacionais que atuam no Brasil não oferecem esses rendimentos.

É preciso ainda ter atenção redobrada com impostos: após a aprovação da nova tributação para investimentos no exterior, ganhos em aplicações financeiras lá fora serão tributadas em 15% a partir de 2024, caso o investidor mantenha residência fiscal no Brasil.

Newsletter

Quer aprender a investir – e lucrar – no exterior?

Inscreva-se na newsletter do InfoMoney para receber informações sobre tributação, procedimentos de envio e sugestões de alocação para seu dinheiro lá fora. É de graça!

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.