Metade da população brasileira sente confiança para investir no futuro

Considerando os segmentos da população, a confiança maior ou muito maior das classes AB foi de 58% em janeiro

SÃO PAULO – A metade dos brasileiros (50%) se sente um pouco ou muito mais confiante em sua capacidade de investir no futuro (o que inclui a capacidade de poupar para se aposentar ou pagar os estudos dos filhos) do que se sentia há seis meses. A conclusão é de levantamento realizado em janeiro pela Ipsos, a pedido da ACSP (Associação Comercial de São Paulo), e divulgado nesta quarta-feira (8).

Os dados também revelaram que as classes AB são as que têm maior parcela de confiantes. Neste sentido, 58% dos entrevistados destas classes responderam estar um pouco ou muito mais confiantes na capacidade de investir para o futuro.

Em seguida, dos entrevistados da classe C, 51% mostram a visão positiva, enquanto 35% dos pertencentes às classes D e E mostraram tal confiança.

Há ainda aqueles que acreditam que sua capacidade de investimento é a mesma de seis meses atrás. Essa opinião atingiu 29% das classes A e B, 27% da classe C e 19% dos pesquisados das classes D e E.

Regiões do País
Analisando as regiões do Brasil, os entrevistados do Nordeste e do Sudeste são os que mostraram, no mês de janeiro, mais confiança para investir no futuro, na comparação com seis meses atrás. Essa percepção atingiu 58% dos moradores de ambas as regiões.

No Sul, 47% da população olha para o futuro de forma favorável. Em seguida vem a região Norte/Centro-Oeste, com 40% da população acreditando estar um pouco ou muito mais confiante em investir.

Por outro lado, 35% dos entrevistados do Sul sentiram que sua capacidade de investimento era a mesma de seis meses atrás, contra 13% dos entrevistados do Nordeste. No Norte/Centro-Oeste e Sudeste as taxas foram de 36% e 28%, nesta ordem.

Menos confiantes
De maneira geral, 23% dos entrevistados se disseram um pouco ou muito menos confiantes para investir no futuro. Dos entrevistados das classes D e E, 40% tiveram essa opinião em janeiro, ao passo que nas classes C e AB o percentual foi de 21% e 12%, respectivamente.

Quanto às regiões, no Sudeste, 24% das pessoas estavam menos confiantes do que há seis meses com o quesito investimento futuro. Já no Nordeste, Norte/Centro-Oeste e Sul, esse percentual foi de 23%, 21% e 17%, respectivamente.

PUBLICIDADE